Saúde

Mensalmente ou não após a remoção do útero

Pin
Send
Share
Send
Send


Acontece que após a remoção do útero são mensais, o que isso pode significar? A histerectomia é uma operação para remover o útero, que deve ser realizada apenas como último recurso, quando outros métodos não ajudam a mulher. Primeiro você precisa descobrir em quais casos é necessário remover o útero por razões médicas. As principais causas incluem sangramento intenso, prolapso de órgãos, inchaço muscular, câncer, prolapso uterino grave.

Insucesso psicológico e hormonal

Há uma década, os médicos geralmente recomendavam uma mulher para se livrar do útero, se havia algum problema de natureza ginecológica - isso supostamente reduzia a possibilidade de formação de tumores malignos. Hoje, os médicos, ao contrário, tentam por todos os meios encontrar uma alternativa à intervenção cirúrgica. E há razões para isso.

O ponto principal são as complicações freqüentes que ocorrem após a cirurgia e podem prejudicar a saúde do paciente. O aspecto psicológico também é muito importante. Uma mulher após a remoção do útero, mesmo que já tenha se tornado mãe, começa a se considerar inferior, muitas vezes cai em depressão e seu estado geral piora.

Há casos em que as conseqüências da operação são muito mais graves do que a própria doença.

Depressão Muitas vezes uma mulher é assombrada pelo pensamento de que ela perdeu sua feminilidade. Ela é atormentada pela constante mudança de humor. Ela se sente cansada e não amada.

Problemas com a vida sexual Imediatamente após a cirurgia, o paciente é proibido de fazer sexo por vários meses. E quando a proibição é suspensa, a dor do intercurso apenas aumenta a negatividade.

Alterações hormonais. Depois que o útero for removido, o paciente nunca será capaz de se tornar mãe. Além disso, aumenta a possibilidade de osteoporose e aumenta o risco de doença cardíaca.

A histerectomia do útero leva à manifestação da menopausa. Os estrogênios deixam de ser produzidos e a mulher começa a envelhecer mais rapidamente, perde o desejo sexual, é atormentada pelas chamadas ondas de calor. E isso acontece independentemente da idade dela. Para que as conseqüências não sejam muito grandes e os hormônios sofram apenas um pouco, os medicamentos são prescritos imediatamente, capazes de sustentar artificialmente o corpo e substituir os estrogênios. Ao mesmo tempo, os médicos notam que, se uma mulher só remove o útero, mas os ovários não, ela não sentirá muito desconforto por causa do desequilíbrio hormonal.

Suas mudanças são facilmente passíveis de tratamento medicamentoso.

Se o mensal não parou - para o médico!

Claro, após a remoção, uma mulher pode perder a principal coisa - o câncer deste órgão. Muitas vezes, as vantagens incluem a cessação da menstruação e alívio do desconforto que uma mulher experimentou durante este processo. No entanto, há casos em que a menstruação continua após a remoção do útero.

Na maioria dos casos, o paciente termina imediatamente o ciclo, mas, para alguns, a descarga não termina.

Isso pode causar confusão: como a menstruação pode continuar se não houver útero. Esta é uma das conseqüências de sua remoção. Não entre em pânico se a descarga não for grande. Todo organismo é individual. Talvez assim seja no seu corpo que o ciclo termine e você precise esperar algum tempo. Se a menstruação continuar por várias semanas ou se continuar regularmente e abundantemente, consulte seu médico. E também por qualquer dor que você não deva tolerar. O médico definitivamente encontrará as respostas para suas perguntas. Os peritos insistem que neste caso, não pode recorrer à medicina tradicional - aquecer o estômago, sentar-se em um banho quente. Tudo isso pode ter conseqüências negativas.

Não atrase uma viagem ao ginecologista

É melhor passar por um curso de terapia complexa e não entrar em pânico. Lembre-se que passar por uma operação é apenas metade da batalha. É importante lidar com suas conseqüências e aqui você precisa seguir um conjunto de regras.

  • Cuidado com a comida. O clímax que inevitavelmente o ultrapassará é muito difícil para as mulheres experimentarem em seus corpos. Para tornar esta tarefa mais fácil para você - não coma demais. Elimine da dieta toda a gordura, frita e picante. De acordo com especialistas, é inútil aconselhar uma mulher a esquecer os doces durante este período, a formação hormonal é tão baixa que os doces a ajudam a sentir interesse pela vida e a ter uma carga de emoções positivas. Recomenda-se simplesmente comer chocolate de alta qualidade ou bolos de creme não muito gordos. A melhor opção - frutas secas, mel, chocolate amargo.
  • É necessário melhorar a vida sexual. É melhor começar isso depois que a mulher curar as costuras e sentir o desejo. Se você começar a fazer sexo cedo demais, isso pode levar a uma dor intensa, após a qual o desejo desaparecerá por muito tempo. É bom que uma mulher tenha um parceiro atencioso que a apóie e a sinta quando estiver pronta para a intimidade.
  • Sinta-se à vontade para procurar ajuda de especialistas. Pode ser ginecologistas - se você continuar com a alta, ou psicólogos, se você sentir depressão grave. Em qualquer caso, você precisa lembrar que você foi para o acordo para se recuperar de uma doença grave, agora você precisa continuar a viver.

    Antes do hospital, uma mulher deve consultar vários médicos e descobrir o máximo possível sobre as conseqüências desse procedimento. Neste caso, estará pronto para diferentes cenários e não enfrentará a incerteza. De acordo com os médicos, a depressão e as mudanças de humor são, na maioria das vezes, o destino dos pacientes que primeiro foram ao procedimento completamente despreparados.

    A remoção do útero é uma forma radical que pode ser substituída por um estilo de vida saudável, supervisão constante por um especialista, porque a operação elimina a doença existente e muitas vezes negligenciada.

    Segundo a Organização Mundial da Saúde, 40% das cirurgias ginecológicas poderiam ter sido evitadas se as mulheres estivessem monitorando sua saúde. Portanto, cuide-se e não seja preguiçoso para ir ao ginecologista pelo menos uma vez a cada seis meses.

    Indicações para cirurgia

    A remoção de qualquer órgão é mais do que um passo sério no tratamento de doenças. Nem sempre é fácil escolhê-lo como o único método aceitável de tratamento para um paciente em particular. No que diz respeito a um tratamento como a histerectomia, há algumas décadas atrás não parecia ser algo excepcional. O útero foi removido mesmo com uma ligeira ameaça à vida da mulher, considerando este método como o mais bem sucedido para prevenir hemorragias subsequentes, patologias tumorais.

    Agora olhe para este problema mais benigno. Os médicos tentam preservar o máximo possível não apenas a função sexual, mas também a função menstrual. Existem várias abordagens para as táticas de operação:

    • amputação completa do órgão
    • remoção cervical parcial,
    • histerectomia com remoção de apêndices.

    Este último requer a inclusão na lista de reabilitação de medidas terapêuticas de tal plano como terapia de reposição hormonal. Hoje, a terapia de reposição hormonal é uma maneira bastante eficaz.

    Para a nomeação da cirurgia tal escala impressionante, um diagnóstico exato é necessário. Indicações diretas para histerectomia incluem as seguintes condições:

    • fibromioma
    • mioma
    • cancro,
    • prolapso significativo, prolapso do útero,
    • sangramento persistente.

    O volume da operação é determinado em cada caso individualmente, levando em consideração o grau de desenvolvimento da doença, doenças associadas e o estado de saúde.

    Mudanças no ciclo menstrual

    Flutuações cíclicas de hormônios no corpo feminino determinam o ciclo menstrual. Praticamente todas as esferas da vida de uma mulher normal dependem desses compostos ativos: capacidade de trabalhar, humor, resistência física, capacidade de se tornar mãe e assim por diante.

    A menstruação é a parte visível das mudanças cíclicas, que se manifesta na remoção da camada endometrial através da vagina para o exterior. O processo é caracterizado pela presença de coágulos sanguinolentos, sangue líquido, uma pequena quantidade de muco. Sangramento ocorre se o ovo não é fertilizado, a gravidez não ocorreu. A frequência de menstruação para cada mulher tem a sua própria, em média, o ciclo varia de 23 a 35 dias.

    O resultado natural dos eventos é a ausência de sangramento menstrual após a histerectomia.

    Como não há órgão que excreta a membrana mucosa esfoliada, não pode haver períodos regulares. Conseqüentemente, se houver períodos mensais após a remoção do útero, isso deve alertar a mulher, obrigá-la a consultar um médico. Especialmente, se esse quadro persistir por um longo tempo após a cirurgia.

    Pós-operatório

    Durante a recuperação da saúde após a cirurgia, pode haver alta, semelhante à menstruação. Além disso, as mulheres podem ser incomodadas pelos seguintes sintomas:

    • dor maçante local ou difusa,
    • fraqueza recorrente
    • tontura
    • manchando.

    Dos fenômenos comuns caracterizados por distúrbios do fundo emocional, que podem se aproximar de reações depressivas. Consciência da ausência do órgão principal para o parto, a cessação do funcionamento menstrual tem um impacto negativo sobre a psique das mulheres com um sistema nervoso lábil.

    A presença de sangramento, manchas nos primeiros dias após a remoção do útero, é normal. No entanto, depois de um mês e meio, esses fenômenos devem parar completamente.

    O sangue pode ser um lembrete da menstruação regular, mas você deve estar alerta. Assim, pode começar a sangramento uterino lento - uma complicação do processo de recuperação após a remoção parcial de um órgão. As suturas pós-operatórias podem ser semeadas com uma infecção secundária, e o fluxo sanguíneo para o local da inflamação provoca sua liberação para o exterior.

    O útero está localizado diretamente ao lado dos órgãos do sistema urinário. Qualquer intervenção externa pode levar a problemas de urina temporários, mas difíceis, o risco de infecção através da uretra. Durante o período pós-operatório, não é incomum ter uretrite, cistite, que leva ao inchaço do tecido circundante e à pressão nessa área. Sangramento que pode se desenvolver em tal curso de eventos, as mulheres podem levar para a menstruação.

    Reabilitação

    A ausência do principal órgão sexual do sistema reprodutivo feminino leva inevitavelmente a uma mudança dramática nos níveis hormonais. Em todos os casos, a terapia de reposição hormonal é indicada. A dose e a droga em si são escolhidas individualmente. É precisamente o uso adequado de meios de anti-envelhecimento que reduz os efeitos negativos da histerectomia para a esfera sexual da vida de uma mulher, bem como o componente emocional ao mínimo.

    Muitos temem um conjunto de quilos extras depois de tal intervenção. Estes são alarmes falsos. Só é necessário ajustar a dieta em favor de proteínas, gorduras facilmente digeríveis, carboidratos complexos. É necessário aumentar significativamente a proporção de vegetais e frutas com baixo teor de açúcar. Carboidratos que aumentam rapidamente a glicose no sangue (açúcar, confeitaria) devem ser excluídos do cardápio ou ser muito limitados.

    Pin
    Send
    Share
    Send
    Send