Hormônios

Baixa progesterona em mulheres

Pin
Send
Share
Send
Send


A progesterona é chamada de "hormônio da gravidez", porque no processo de levar um bebê seu papel é especialmente importante.

Se progesterona baixa, os sintomas em mulheres não devem ser negligenciados.

Para a produção deste hormônio no corpo das mulheres, córtex adrenal responsável, corpo lúteo e placenta (durante a gravidez).

Funções e normas do hormônio nas mulheres

Fora da gravidez, a função de progesterona:

  • preparação do sistema de gravidez para gravidez,
  • normalização da atividade ovariana,
  • regulação do ciclo menstrual
  • reduzindo a probabilidade de endometriose, miomas, mastopatia,
  • regulação da pressão arterial
  • efeito sobre o metabolismo de oligoelementos e cálcio,
  • estabilização dos níveis de açúcar no sangue ao normal
  • efeitos na coagulação do sangue, melhorando-o.

Quando a gravidez ocorre, a principal função da progesterona é preservá-la:

  • Fornece preparação da mucosa uterina para adoção e fixação de embriões.
  • Reduz a frequência e a força das contrações dos músculos do útero para prevenir a rejeição do óvulo (aumentando o teor de sódio e reduzindo o potássio nas fibras musculares do útero).
  • Influencia o crescimento do útero.
  • Promove um aumento na gordura subcutânea, armazenando nutrientes.
  • Preparado para lactação das glândulas mamárias (contribui para o desenvolvimento de lóbulos, passagens alveolares).
  • Ajuda o sistema nervoso a se adaptar à gravidez.
  • Quando a gravidez ocorre, interrompe o ciclo menstrual seguinte.

Portanto, quando a síntese insuficiente de progesterona aumenta o risco de aborto com um curto período, ou a sua não ocorrência.

A quantidade de progesterona no corpo está em conexão direta com a fase do ciclo menstrual e varia consideravelmente. Na primeira fase, o nível aumenta, no momento da ovulação, torna-se o mais alto.

Programa de mudança de progesterona durante o ciclo menstrual

Com o início da gravidez, a sua quantidade no sangue aumenta ainda mais para criar as condições necessárias para o óvulo e preservar a gravidez.

Quando a gravidez não ocorre, a quantidade de progesterona começa a diminuir até o nível da fase pré-ovulatória, seguida pela menstruação. Na segunda fase, que dura cerca de 14 dias, a progesterona é sintetizada pelo corpo lúteo, que prepara o endométrio para a gestação.

Com uma duração mais curta da segunda fase, o endométrio não está preparado para a fixação do óvulo e a gravidez não ocorre. Com uma baixa produção do hormônio por um curto período de tempo, o endométrio não está pronto para reter o óvulo e promover seu desenvolvimento, de modo que ocorre um aborto espontâneo.

Mulheres não grávidas são consideradas indicadores normais dependendo da fase (nanomoles por litro):

  • folicular 0,32 - 2,23,
  • ovulatório 0,48 - 9,41,
  • luteal 6,99 - 56,63,
  • pós-menopausa 0,64.

O nível ao usar contraceptivos tomados por via oral (nanomoles por litro):

  • folicular até 3,6,
  • Ovular 1,52 - 5,45,
  • luteal 3,01 - 66,8,
  • pós-menopausa não é mais do que 3,19.

Em caso de gravidez (nanomoles por litro):

  • Termo I 8,9 - 468,5
  • II trimestre 71,5 - 303,5,
  • Termo III 88,7 - 771,5.

Alguns problemas hormonais podem ser perigosos durante a gravidez. O hipotireoidismo na gravidez é uma patologia perigosa, no entanto, graças às conquistas da medicina moderna, uma mulher pode suportar e dar à luz uma criança saudável.

A essência do procedimento da biópsia por agulha fina da glândula tireóide será considerada aqui.

Neoplasias da glândula tireóide são de diferentes tipos. O próximo tópico http://gormonexpert.ru/zhelezy-vnutrennej-sekrecii/shhitovidnaya-zheleza/follikulyarnaya-opuxol-chto-eto-takoe.html é dedicado aos tumores foliculares da tireóide. Sintomas, características clínicas e métodos de tratamento da doença.

Causas da deficiência de progesterona

Níveis hormonais diminuídos podem ocorrer por uma variedade de razões. Nas mulheres durante a menopausa, progesterona fisiologicamente baixa, isso é considerado normal. Depende do fato de que a síntese é realizada apenas pelas glândulas supra-renais, as mulheres nessa idade não têm sinais e efeitos causados ​​por uma diminuição no nível do hormônio.

Níveis reduzidos de progesterona em mulheres não grávidas

Antes de fazer uma comparação, a análise deve ser realizada corretamente: cada fase do ciclo menstrual corresponde a um determinado nível de progesterona, que é considerado normal. Normalmente, a progesterona recebe sangue durante o seu nível máximo.

A síntese do hormônio ocorre nas glândulas supra-renais, no corpo lúteo e nas células luteinizantes localizadas nos ovários.

Produção pelas glândulas supra-renais em pequena quantidade, a parte principal é sintetizada pelo corpo lúteo. Como está presente apenas na fase lútea, há uma mudança cíclica no nível do hormônio nas mulheres.

Consequentemente, uma diminuição no nível de progesterona indica uma patologia do corpo lúteo. Uma das razões pelas quais os especialistas acreditam que o metabolismo prejudicado (muitas vezes uma glândula tireóide aumentada, a liberação de leite das glândulas mamárias). Os distúrbios hormonais resultantes levam a uma diminuição na síntese de progesterona.

A falta de ovulação devido à insuficiência do corpo lúteo pode ser causada por:

  • substituição de folículos pelo tecido conjuntivo na ausência da fase do corpo lúteo,
  • transição imprópria dos folículos para o corpo lúteo,
  • má qualidade de sua educação devido ao fracasso da transformação do folículo.

Uma diminuição no nível de progesterona durante a ovulação de alta qualidade é notada em conexão com:

  • reabsorção excessivamente rápida do corpo lúteo (tempo insuficiente para produzir progesterona suficiente),
  • violação do funcionamento dos ovários como resultado de estresse prolongado e severo, a ausência de gravidez provoca um estresse ainda maior, criando um círculo patológico fechado,
  • peso corporal insuficiente
  • distúrbios causados ​​pelo alto esforço físico.

Diminuição dos níveis hormonais durante a gravidez

Normalmente, com um aumento na duração da gravidez, o nível de progesterona aumenta, seu valor máximo é observado no terceiro trimestre.

A partir de 16 semanas, a progesterona produz a placenta. Portanto, se há uma diminuição no nível do hormônio antes de 16 semanas, isso indica uma violação associada ao corpo lúteo, após 16 semanas - com a placenta.

O nível do hormônio também pode diminuir com doenças da glândula pituitária devido à baixa estimulação ovariana.

O uso de drogas hormonais para gestantes por longo tempo em altas doses é outro motivo para o baixo nível de progesterona.

Baixos níveis de progesterona em mulheres - sintomas

Reduzir o nível de progesterona provoca uma deterioração da saúde (até o final da vida afeta o corpo). Muitos dos sinais de baixo nível hormonal não são específicos, portanto, há dificuldades no diagnóstico. Uma diminuição moderada da progesterona é caracterizada por:

  • dores de cabeça
  • aumento da pressão arterial
  • humor,
  • ganho de peso rápido
  • deprimido
  • perda de cabelo
  • irritabilidade alta
  • fadiga
  • distensão abdominal,
  • inchaço doloroso das glândulas mamárias,
  • transpiração excessiva
  • violação do ciclo menstrual.

Os sintomas ocorrem alguns dias antes da menstruação, desaparecem após o seu fim de forma independente.

Além dos sintomas acima, a baixa progesterona pode causar:

  • manchando,
  • membros frios
  • temperatura corporal mais baixa
  • nos estágios iniciais do aborto espontâneo.

Quando os níveis de progesterona diminuem, desenvolvem-se miomas, cistos ovarianos e glândulas mamárias. Dos sinais exteriores de ovoloseneniya aumentado, por vezes, desenvolve-se, acne, excesso de sebo. Há uma pele seca e olhos mucosos, o aparecimento de estrias na pele, insônia, constipação.

Durante a gravidez, uma diminuição nos níveis de progesterona pode ser um sinal de retardo de crescimento intra-uterino, gravidez prolongada e um aborto espontâneo ameaçado.

Muitas doenças da glândula tireóide podem ser causadas por uma violação da imunidade. Portanto, para esclarecer as causas das patologias, é necessário aplicar medidas diagnósticas adicionais. AT TPO é muito elevado - o que isso significa e quais doenças indicam? Considere em detalhes.

Os métodos de diagnóstico e prevenção da hiperplasia tireoidiana serão discutidos neste tópico.

Sintomas e efeitos

A gravidade dos sinais de deficiência de progesterona depende do grau de redução da quantidade do hormônio, das características individuais do corpo da mulher, da relação com o estradiol. Os sintomas da deficiência de progesterona são:

  • distúrbios do ciclo uterino,
  • problemas com a concepção,
  • fadiga
  • inchaço
  • síndrome pré-menstrual pronunciada
  • libido em declínio,
  • abortos espontâneos

O início da gravidez com deficiência de progesterona é possível, mas seu desenvolvimento posterior não é. Funções da progesterona durante a gravidez:

  • tônus ​​muscular uterino reduzido,
  • inibição da imunidade local (para evitar a rejeição do óvulo, que é 50% geneticamente estranho).

Se a concepção foi bem sucedida e a mulher sabe disso, a dor abdominal é uma razão para procurar atendimento médico imediato.

Os sintomas de progesterona diminuída em mulheres que não sabem sobre o início da gravidez são sangramentos abundantes e prolongados, que indicam sua interrupção. E neste caso, o exame e a consulta do doutor são necessários.

A baixa progesterona é perigosa no final da gravidez. Isso leva a perenashivaniya. A entrega normal ocorre após 40 semanas. Um desvio de 2 semanas para cima ou para baixo é permitido. Se a atividade laboral não ocorrer por 42 semanas, a criança é ameaçada de lesão. Substituindo leva à ossificação dos pontos (conexão dos ossos) no crânio do bebê, a cabeça do bebê não pode passar pelo canal de parto da mulher.

Causas de progesterona baixa, fatores externos

As causas da progesterona baixa nem sempre são alterações patológicas no organismo. A quantidade de hormônio depende da fase do ciclo menstrual.

  1. A baixa progesterona desde o início da regulação até o início da ovulação é a norma fisiológica. Durante esse período, registrou as taxas mais baixas.
  2. Uma diminuição natural na concentração de progesterona ocorre na pós-menopausa. Durante este período, a maturação das células germinativas pára no corpo da mulher, o corpo amarelo não se forma, e as glândulas supra-renais não são capazes de cobrir o déficit. Uma diminuição na progesterona e um aumento relativo do estrogênio durante este período aumentam o risco de desenvolvimento de tumores malignos no útero e crescimento excessivo do endométrio.
  3. Fatores interferentes, drogas que reduzem a progesterona - ampicilina, carbamazepina, ciproterona, danazol, epostan, estriol, goserelina, leupromide, contraceptivos orais, fenitoína, pravastatina, prostaglandina E2.
  4. O desempenho das glândulas endócrinas é influenciado por fatores externos, de modo que o estilo de vida da mulher afeta indiretamente o nível de progesterona. Dieta inadequada, inatividade física e, especialmente, estresse crônico, muitas vezes levam à insuficiência hormonal.

Entre 35 e 50 funcionamentos de progesterona cairão em 75%

Causas da progesterona baixa, problemas endócrinos

As causas da deficiência de progesterona em uma mulher em idade reprodutiva são:

  • violação da atividade secretora do hipotálamo e hipófise,
  • aumento dos níveis de estrogênio
  • patologia tireoidiana,
  • a persistência do folículo,
  • hiperprolactinemia (aumento da concentração de prolactina),
  • hiperandrogenismo (excesso de hormônios masculinos),
  • atividade insuficiente da placenta (em mulheres grávidas).

Fase Luteal e Deficiência

A fase lútea (ou a fase do corpo lúteo, ou fase progesterona) começa com a liberação do óvulo do folículo, que está maduro e pronto para a fertilização. Isso é feito no 14º dia do ciclo. Dependendo da duração da maturação da célula germinativa, a ovulação do 12º ao 16º dia é normal. É durante esse período que ocorre a síntese ativa do hormônio da gravidez.

Uma das razões para o baixo nível de progesterona na fase lútea é a condição dos ovários. Patologias que causam disfunção fisiológica das gônadas:

  • Policístico Nesta doença, o folículo maduro não é rasgado. Ele permanece em estado de cisto. Esta é uma cavidade patológica com uma parede aumentada e um óvulo não viável no interior. Os ovários são cobertos com folículos não detonados.
  • Resistência (insensibilidade). As glândulas sexuais femininas não respondem aos hormônios folículo-estimulante (FSH) e luteinizante (LH) da glândula pituitária, portanto a maturação do ovo não ocorre.
  • Retardo Hiper. Fatores ambientais adversos, o uso de certos grupos de drogas causam disfunção orgânica.
  • Esgotamento prematuro. A patologia é causada por um início precoce da menopausa. A interrupção da menstruação ocorre em mulheres de 35 a 40 anos de idade (com uma norma após 45 anos) sob a influência de radiação, quimioterapia, efeitos crônicos de fatores de estresse e uso de certas drogas farmacológicas.

As causas orgânicas da deficiência de progesterona na fase lútea incluem as seguintes doenças:

  • endometriose (crescimento excessivo da camada interna do útero),
  • tumor maligno do útero, ovários,
  • pólipos uterinos (neoplasia benigna),
  • miomas (tumor benigno dependente do hormônio do útero),
  • endometrite (inflamação da camada interna do útero),
  • manipulação intra-uterina (aborto, curetagem).

Os efeitos das patologias

Hiperprolactinemia

Uma das funções da prolactina - a produção de leite materno. Após o nascimento, há um aumento natural na concentração da substância ativa. Aumento patológico no hormônio resulta de tumores hipofisários. O trabalho do sistema hipotalâmico-hipofisário e o insucesso do FSH e do LH, que estimulam a produção dos ovários, estão comprometidos. Desordem do ciclo menstrual - uma conseqüência de alterações patológicas.

A hiperprolactinemia e baixos níveis de progesterona no período pós-parto são eventos fisiológicos normais.. A prolactina alta inibe a formação de óvulos e protege o corpo da mulher contra gravidez indesejada durante a amamentação.

Hipotálamo e disfunções da hipófise

A hipófise e o hipotálamo coordenam o trabalho de todas as glândulas endócrinas. Sob a ação de seus hormônios (em particular, folículo estimulante e luteinizante), ocorre a formação de substâncias ativas responsáveis ​​pela maturação do óvulo, concepção, gravidez, parto. Os tumores do sistema hipófise-hipotalâmico, uma violação do suprimento de sangue para essa parte do cérebro, causam uma escassez de progesterona e levam a problemas de gestação.

Insuficiência placentária

Uma das funções da placenta é a secreção. É uma glândula endócrina temporária. A partir da 16ª semana de gravidez, a placenta é usada para sintetizar ativamente a progesterona. Se as patologias da sua formação se observarem, a progesterona diminui, e os problemas surgem com a nova gravidez.

Hiperandrogenemia

A causa do excesso de hormônios masculinos no corpo de uma mulher é um tumor dos ovários, as glândulas supra-renais. O excesso de andrógeno causa anovulação. Uma cápsula densa é formada nas gônadas, o que impede a liberação de um óvulo maduro.

Disfunção tireoidiana

Quantidade insuficiente de hormônios da tireóide (hipotireoidismo) no corpo feminino afeta negativamente a fertilidade e a formação hormonal em geral.

Sob a ação dos hormônios da tireóide, uma proteína é sintetizada no fígado, que se liga ao estradiol e à testosterona. Com uma quantidade insuficiente desta proteína no sangue de uma mulher, uma grande quantidade de testosterona livre aparece, o que suprime a ovulação. O corpo lúteo neste caso não é formado, e a concentração de progesterona permanece mínima.

Patologia da glândula tireóide associada a secreção insuficiente de hormônios, provoca um aumento na concentração de estrogênio. Esta violação leva a uma diminuição na produção de FSH e LH (de acordo com a lei de feedback) e a quebra do ciclo menstrual. Mulheres com deficiência de hormônio tireoidiano desenvolvem infertilidade. Quando a gravidez ocorre, há um risco de auto-aborto ou hipotireoidismo congênito é diagnosticado em um recém-nascido.

Diagnóstico de Progesterona Baixa

As indicações para prescrever um teste de sangue para progesterona são distúrbios do ciclo, aborto espontâneo, aborto espontâneo. Com um ciclo de 28 dias, o material de laboratório é entregue nos dias 22-23. Em outros casos, o dia da análise é prescrito pelo médico. As mulheres grávidas tomam sangue para estabelecer a concentração de progesterona, independentemente do período.

Com um atraso significativo da análise mensal complexa. Além da concentração de progesterona, determine a quantidade dos seguintes hormônios:

  • folículo estimulante,
  • luteinizante,
  • gonadotrofina coriônica humana (hCG)
  • estrogênio
  • prolactina
  • testosterona,
  • cortisol.

Razões para reduzir a concentração de progesterona

Quais são as razões para reduzir a progesterona em mulheres? Seu nível varia de tempos em tempos, dependendo do dia do ciclo. Desde o início da menstruação até o momento da liberação do óvulo, o menor valor é observado - essa é uma característica fisiológica normal do organismo.Após a ovulação, forma-se o corpo lúteo, em conseqüência do qual o nível hormonal aumenta e, na segunda fase, sua concentração também aumenta. Se o corpo lúteo funciona normalmente e o endométrio cresce abundantemente nos vasos, a preparação para a fixação de um óvulo fertilizado começa.

No período pós-menopausa, o nível do hormônio diminui. Durante o clímax, o ovo não amadurece e o corpo amarelo não se forma, e as glândulas supra-renais não são capazes de manter a concentração de progesterona em condições normais. Entre as principais razões para reduzir o nível do hormônio são:

  • doença da tiróide,
  • funcionamento inadequado da hipófise e do hipotálamo,
  • insuficiência placentária
  • a ocorrência de hiperprolactinemia,
  • insuficiência da fase lútea do ciclo.

Somente após um exame completo, o médico determinará por que razão a progesterona é diminuída em uma mulher. O nível de hormônios é afetado pela nutrição, estilo de vida, exercício, estresse.

Os níveis dos hormônios tireoidianos podem influenciar?

Progesterona nas mulheres - o que é isso? Como a glândula tireóide afeta seu desempenho? Este é um hormônio responsável pela regularidade do ciclo menstrual e pela possibilidade de gestação. No processo de desenvolvimento de hipotireoidismo, o background hormonal pode ser perturbado. Sob a influência do hormônio da tireóide na proteína do fígado é sintetizado, o que remove a testosterona e estradiol. Com uma deficiência de proteína no sangue aumenta a testosterona ativa, que suprime a ovulação. Sob essas condições, o corpo lúteo não pode amadurecer. Se houver uma deficiência dos hormônios da tireoide, o estrogênio é inativado, o que leva a um aumento na concentração, o que causa a perturbação do ciclo menstrual. Sob tais condições, as mulheres são freqüentemente diagnosticadas com infertilidade. Em alguns casos, a concepção ocorre, mas nem sempre é possível fazer um bebê saudável. Muitas vezes, os recém-nascidos são diagnosticados com hipotireoidismo.

Como o hipotálamo e a hipófise afetam a progesterona?

O hipotálamo e a glândula pituitária são as glândulas centrais que regulam o trabalho de todos os outros. Com seu funcionamento inadequado, surgem distúrbios de secreção hormonal. Devido ao suprimento insuficiente de sangue, a secreção de hormônios trópicos diminuirá, o trabalho de todas as glândulas começará a ser inibido. Hipogonadismo hipofisário é uma doença que leva ao aborto espontâneo do feto devido a níveis insuficientes de progesterona.

Funcionamento hormonal da placenta

A placenta é capaz de produzir progesterona desde o momento de sua formação, em casos freqüentes, acontece após 15,5 semanas da concepção. Com a formação e desenvolvimento incorretos da placenta, o conteúdo da progesterona pode ser perturbado. Devido ao envelhecimento prematuro e à presença de calcinatos, o seu nível pode diminuir.

Características da hiperprolactinemia

Graças à prolactina, as glândulas mamárias aumentam, a produção de leite é ativada. O nível desse hormônio aumenta após o parto. Se um tumor hipofisário é encontrado no paciente, o suprimento de sangue é perturbado, a regulação da função do hipotálamo mudou - o ciclo menstrual é perdido devido à falta de hormônios estimulantes do ovário. Após o parto, a inibição fisiológica da ovulação ocorre devido ao fato de que a prolactina não permite que o óvulo amadureça. Essa função de proteção do corpo preserva a saúde da mulher, uma vez que a re-concepção leva à exaustão e ao desenvolvimento de complicações sérias para a mãe e o bebê.

Existem várias razões que podem afetar os níveis hormonais. Somente depois de um diagnóstico médico completo, o médico pode descobrir por que uma progesterona é diminuída em uma mulher. Ginecologistas e ginecologistas-endocrinologia ajudarão a restaurar a saúde do paciente. É proibido se envolver em autotratamento, uma vez que o uso de qualquer medicamento não prescrito por um médico pode provocar o desenvolvimento ativo de doenças. Quaisquer métodos populares devem ser aplicados estritamente após consultar um médico. As ervas contêm hormônios em sua composição, portanto, seu uso para outros fins pode até ser fatal.

Quais são os sintomas do hormônio baixo?

Quais são os sintomas da baixa progesterona em mulheres? Existem vários que indicam uma diminuição na progesterona, a saber:

  • violação do ciclo menstrual,
  • concepção do problema,
  • ciclo menstrual irregular
  • longos períodos de menstruação,
  • durante a menstruação, muito sangue é liberado,
  • há sangramento uterino dicirculatório
  • fadiga constante
  • fadiga
  • a ocorrência de edema,
  • sensibilidade mamária,
  • mudanças de humor freqüentes,
  • enxaqueca.

Quando um dos sintomas de baixa progesterona em mulheres aparece, os médicos recomendam um estudo completo. É importante consultar um ginecologista-endocrinologista, uma vez que uma deficiência hormonal afeta o bem-estar geral e pode provocar o desenvolvimento de doenças graves. Para evitar complicações sérias, é importante visitar a instituição médica a tempo e passar todos os testes necessários para que o médico possa fazer um diagnóstico. Com base nos resultados do estudo, o especialista em atendimento prescreve um tratamento abrangente que ajudará a normalizar o ciclo menstrual e a melhorar o estado geral do paciente.

Processo de tratamento

A escolha do tratamento para a baixa progesterona em mulheres depende da causa subjacente, o que provocou uma diminuição do seu nível. Se um paciente tem tumores hipofisários, é necessário realizar terapia com um oncologista. Se houver uma patologia da glândula tireóide, você precisa visitar um endocrinologista. O tratamento da hiperprolactinemia é realizado com a ajuda da "bromocriptina". Os tumores só podem ser curados por cirurgia ou quimioterapia. Muitas vezes, os especialistas usam a terapia de radiação.

Os efeitos da redução da progesterona nas mulheres são imprevisíveis, o que pode ser tanto a esterilidade completa quanto o desenvolvimento de tumores. Por esse motivo, é importante realizar um tratamento abrangente e oportuno. No curso da terapia, deve-se comer adequadamente e levar um estilo de vida saudável, deve-se relaxar completamente e não ficar nervoso, tentar evitar situações estressantes, normalizar a nutrição. É necessário concentrar-se apenas em alimentos saudáveis ​​que contenham uma quantidade suficiente de proteínas, gorduras, carboidratos.

É necessário incluir na dieta de legumes e frutas, carne magra e peixe. Farinha, produtos doces, bebidas carbonatadas, álcool - é melhor excluir. Se a progesterona é reduzida em uma mulher durante a gravidez de um bebê, os médicos prescrevem Duphaston. A droga é produzida sob a forma de comprimidos. A durao do curso do tratamento e a dosagem determinada pelo mico assistente, dependendo do quadro clico.

Se uma menina tem endometriose, os médicos prescrevem Duphaston de 5 a 25 dias do ciclo, 10 mg 2 a 3 vezes ao dia. Em caso de infertilidade provocada pela deficiência da fase lútea, a droga é tomada de 14 a 25 dias, a duração da terapia é de pelo menos 6 meses. Você deve saber que o auto-tratamento pode levar ao desenvolvimento de doenças graves. Em casa, é impossível diagnosticar o corpo. Apenas um especialista pode prescrever uma terapia eficaz. "Duphaston" prescrito para menstruação irregular, amenorréia, dismenorréia, síndrome pré-menstrual, para parar o sangramento uterino.

O Utrozhestan tem exatamente o mesmo efeito que o Duphaston. Solte o medicamento em forma de pílula. Com a ajuda de uma solução oleosa de progesterona - "Oxyprogesterone", o ajuste de baixos níveis de progesterona em mulheres é realizado. A droga é administrada por via intramuscular. A droga libera gradualmente o hormônio no sangue. Prescrito na maioria das vezes no caso de uma ameaça de aborto espontâneo. A solução causa o início da menstruação. A droga é administrada por via intramuscular. A duração do tratamento é de uma semana, a dose é determinada pelo médico assistente.

O efeito dos alimentos nos níveis hormonais

Com a ajuda de motherwort, folhas de framboesa, inhame selvagem, manguito, você pode aumentar o nível de progesterona no sangue. Para fazer isso, despeje água fervente sobre os ingredientes e beba antes de uma refeição. A dosagem deve ser determinada pelo médico assistente.

Quais alimentos aumentam a progesterona em mulheres? Abacate, framboesa, pimenta vermelha, nozes. Para abaixar seu nível, é necessário excluir da dieta suínos, aves, gorduras de origem vegetal e animal. Os produtos que reduzem a progesterona nas mulheres são sementes de abóbora, nozes e feijão.

Aplicação de métodos folclóricos

Como aumentar a progesterona em mulheres remédios populares? Para aumentar o nível de progesterona, você pode usar receitas populares. Entre os mais eficazes são:

  1. Folhas secas de framboesa (50 g) devem ser enchidas com água fervente (2 xícaras). Deixe repousar por 50 minutos. Depois de filtrar e beber em pequenas porções ao longo do dia.
  2. Combine folhas secas de inhame selvagem e framboesa em proporções iguais, 2 colheres de sopa. l plantas derramar água fervente e deixe fermentar. Tome 1,5 colher de sopa. l quatro vezes por dia.
  3. Em proporções iguais, combinar as sementes de banana e manguito. Despeje um copo de água fervente e deixe fermentar por uma hora. Beba 1,5 colher de sopa. l várias vezes ao dia.
  4. 200 g de um pincel vermelho despeje dois litros de vodka. Infundir por 4 semanas. Agite o conteúdo de vez em quando. Use a composição de cura várias vezes ao dia, 35 gotas. Você deve primeiro diluir o produto em água limpa.

Como aumentar a progesterona em mulheres na pós-menopausa? Para aumentar o nível de progesterona, os especialistas recomendam incluir o tomilho, orégano, uma mistura de curry e açafrão na dieta. Graças a tais temperos, o prato fica não só saboroso, mas também útil. Além disso, recomenda-se incluir na dieta lentilhas, feijão, ervilhas, amêndoas, carne de peru e vitela jovem, ovos de codorniz, aveia, framboesas, abacates, azeitonas. Antes de usar qualquer método de tratamento popular, é importante consultar um médico, pois o autotratamento geralmente provoca o desenvolvimento de complicações graves de saúde. Sinais de baixa progesterona em mulheres podem estar ausentes, portanto, recomenda-se que um médico seja examinado regularmente.

Taxa de progesterona

Antes de discutir o problema da escassez de progesterona, é necessário descobrir de onde vem essa substância e qual a sua concentração no sangue é normal.

A progesterona é um hormônio sexual feminino secretado pelo corpo lúteo - uma formação que surge do folículo após um óvulo ser liberado durante a ovulação. O local de síntese desta substância são os ovários, e também uma pequena parte é produzida no córtex adrenal e na placenta durante a gravidez. Um papel importante na síntese da progesterona é o FSH, um hormônio que estimula o crescimento e a maturação dos folículos. Com a falta do último, o corpo amarelo pode não aparecer de todo.

Não há um indicador único para a norma da progesterona, uma vez que a quantidade desse hormônio varia muito durante os diferentes períodos do ciclo menstrual. Por exemplo, antes da ovulação, quando os folículos só amadurecem, seu conteúdo no sangue não pode exceder 0,35-2,25 nmol / l, enquanto que na fase ovulatória esse valor atinge 0,5-9,5 nmol / l.

Em mulheres na pós-menopausa, quando a maturação do folículo e a ovulação não ocorrem mais, o conteúdo de progesterona é baixo, para 0,65 nmol / l, o que não afeta adversamente a saúde.

Fatores endógenos

Fatores endógenos ou internos de deficiência de progesterona em mulheres incluem as seguintes condições:

  • distúrbios da glândula pituitária e níveis reduzidos de FSH,
  • excesso de peso
  • reabsorção rápida do corpo lúteo durante a ovulação,
  • processos infecciosos ou inflamatórios nos genitais,
  • endometriose.

Baixos níveis de progesterona podem ser uma manifestação desses problemas de saúde, porque afetam o sistema endócrino e suprimem a síntese do hormônio.

A diminuição da atividade hipofisária e a falta de FSH inibem a maturação do folículo e a ovulação.

A rápida destruição do corpo lúteo que ocorre na fase ovulatória não permitirá produzir progesterona suficiente. Infecções, processos inflamatórios nos genitais e endometriose sinalizam o corpo que agora é um momento disfuncional para a gravidez, portanto o background hormonal está mudando, o nível de progesterona é reduzido, o ciclo menstrual pode parar ou se perder.

Fatores externos

Fatores externos que provocam uma diminuição nos níveis de progesterona incluem o seguinte:

  • recepção errada ok
  • terapia hormonal
  • longa recuperação após o aborto.

Contraceptivos orais e terapia hormonal interrompem o trabalho dos órgãos endócrinos, na maioria das vezes tais drogas alteram a síntese de hormônios para a produção de estrogênio, reduzindo a produção de progesterona.

A recuperação a longo prazo após um aborto é estressante para o corpo, porque em um momento, devido à raspagem do óvulo fertilizado, a produção de progesterona em grandes quantidades é interrompida. É importante entender que esse fator pode nem sempre ser a causa da interrupção hormonal, porque a maioria das meninas sofre um aborto de alta qualidade sem consequências negativas.

Sintomas de baixa progesterona

A deficiência de progesterona pode fazer-se sentir não imediatamente, porque os hormônios agem lentamente, mas por um longo tempo. Por exemplo, a hipoprogesteronemia desenvolvida pode causar acne, mas a acne não aparece em um dia. Erupções freqüentemente surgem dentro de 1-2 meses, enquanto elas não desaparecem sozinhas, elas amadurecem constantemente novas.

Os principais sinais de deficiência de progesterona são:

  • ganho de peso gradual, que é principalmente depositado na parte inferior do corpo,
  • instabilidade emocional, birras freqüentes, falta de sono,
  • PMS grave, menstruação irregular,
  • mancha na segunda fase do ciclo menstrual, mas não durante a menstruação,
  • dores puxando frequentes nas glândulas mamárias,
  • perda de cabelo forte e um feixe de unhas,
  • às vezes as meninas não liberam um óvulo durante a ovulação.

Tais sintomas de deficiência de progesterona são observados quando a hipoprogesteronemia se desenvolve, mas se esse hormônio é perturbado por uma menina devido a defeitos congênitos dos ovários ou pituitária, então o subdesenvolvimento dos órgãos genitais, mamas, sobrepeso perceptível, doença cardiovascular e emocionalidade excessiva podem ser observados.

Consequências da deficiência de progesterona

Toda garota deve visitar regularmente um ginecologista, porque só assim você pode notar uma manifestação de falta de hormônios. A fim de diagnosticar uma deficiência de progesterona, é necessário fazer um exame de sangue para o conteúdo de substâncias ativas sexuais uma vez a cada 1-2 anos, isto é especialmente importante para aqueles que já tiveram problemas com a saúde reprodutiva.

Se ela ignorar os sintomas da deficiência de progesterona, então, gradualmente, ela poderá desenvolver outros problemas:

  • fracasso prolongado na frequência do ciclo menstrual,
  • falta de ovulação
  • períodos muito dolorosos e pesados,
  • secura vaginal
  • doenças dos órgãos reprodutivos (mioma uterino, cisto ovariano, endométrio muito fino),
  • infertilidade
  • obesidade.

Estradiol e progesterona baixos durante a puberdade podem afetar adversamente o desenvolvimento do sistema reprodutivo, muitas vezes, no futuro, as meninas têm sérios problemas de fertilidade.

A baixa progesterona durante a gravidez também é perigosa, porque esse hormônio “protege” a saúde do bebê - reduz constantemente a síntese de estrogênio que pode causar aborto espontâneo. É por isso que as mulheres grávidas devem fazer testes a cada 2 ou 3 meses e estar sob supervisão médica.

Tratamento de deficiência de progesterona

Só é necessário tratar a deficiência de progesterona junto com o ginecologista, já que a autoadministração de qualquer droga hormonal só pode agravar a situação e prejudicar o sistema reprodutivo. A terapia depende do estágio de escassez observado na menina.

Antes de iniciar o tratamento, é necessário fazer um exame completo: uma ultrassonografia dos órgãos pélvicos, um exame de sangue para bioquímica e hormônios, e uma ressonância magnética para detectar anormalidades na glândula pituitária.

Contraceptivos orais

A baixa progesterona durante a primeira metade do ciclo menstrual, quando a ovulação ainda não ocorreu, pode ser ajustada com o auxílio de contraceptivos orais, que gradualmente estimulam a maturação dos folículos e, após sua quebra, prolongam a vida do corpo lúteo. Estes incluem medicamentos contendo progesterona OK:

Normalmente, o CO é capaz de corrigir um nível hormonal reduzido ao normal dentro de alguns meses, mas com esse tratamento é necessário observar estritamente a regularidade de tomar as pílulas, porque pular pelo menos uma pode reduzir significativamente a eficácia da terapia.

Terapia hormonal

Se houver uma baixa progesterona na fase lútea, quando o corpo lúteo deve produzir o hormônio mais ativamente, o tratamento com pílulas anticoncepcionais hormonais será impotente. Neste caso, a terapia deve consistir em progesterona em ampolas ou injeções, também é por vezes substituído com endometrina, um medicamento com o mesmo ingrediente ativo.

Essa terapia hormonal tem um efeito significativo, mas pode ser perigosa na medida em que interrompe o trabalho de todo o sistema endócrino se a dosagem estiver incorreta ou se a droga for analfabeta. Além disso, muitas mulheres observam perda de cabelo e ganho de peso após o tratamento com progesterona.

A diminuição da progesterona nas mulheres indica um problema na glândula pituitária ou uma maturação anormal dos folículos, devido à qual este hormônio é produzido em pequenas quantidades.Independentemente, tal desvio é raro, mas as conseqüências da falta de tratamento podem ser graves, então você deve consultar um ginecologista e passar nos testes necessários se os sintomas de deficiência de progesterona forem detectados.

O que é a progesterona 17-OH responsável por?

A 17-OH-progesterona é responsável pela gravidez e tudo relacionado a ela, a saber:

  • adaptação do corpo ao longo processo de carregar uma criança,
  • impacto no epitélio interno do verme que segura o feto,
  • suprimindo os processos que ativam o início da menstruação durante a gravidez,
  • preparação de pommes fêmeas para o processo de formação, acumulação e remoção periódica do leite,
  • influência sobre o estado emocional de uma mulher
  • estimulação do processo que assegura a fertilização da principal célula reprodutiva do corpo feminino - o ovo (se a progesterona estiver elevada no corpo),
  • influência no humor (se a progesterona é reduzida).

Além da influência na função reprodutiva, progesterona:

  • impede a formação de formações fibrocísticas
  • reduz a viscosidade do tecido conjuntivo fluido fluido que flui através das veias e artérias de uma pessoa,
  • controla a quantidade de glicose no sangue,
  • participa no metabolismo das gorduras.

Função progesterona

A progesterona 17-OH executa as seguintes funções:

  • ajuda a fortalecer o ovo durante a fertilização,
  • cria no útero um ambiente favorável para a concepção,
  • pára após a concepção da menstruação,
  • serve como um estímulo para o crescimento do útero, não permitindo que ele se contraia,
  • leva ao aumento da secreção produzida pelas glândulas sebáceas,
  • aumenta a pressão arterial.

Taxas de progesterona (em tabelas)

Nível hormonal nas fases do ciclo mensal

Níveis hormonais em fases do ciclo menstrual para mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais

Níveis hormonais por dia do ciclo menstrual

Níveis hormonais nos trimestres da gravidez.

Qual é o perigo de níveis elevados de progesterona?

Como a 17-OH-progesterona é um hormônio, sua superabundância pode levar a um aumento no peso corporal e subsequente obesidade. Além disso, muitas vezes leva a patologias intestinais, e ainda em expansão, desencadeia processos inflamatórios no útero e genitais estreitamente localizados.

Entre as consequências que ocorrem quando o caso é negligenciado, a aparência é destacada:

  • um tumor (benigno ou maligno),
  • câncer de glândula adrenal
  • doença hepática crônica (cirrose),
  • insuficiência hepática
  • disfunção renal,
  • infertilidade feminina (incapacidade de conceber).

Excesso 17-OH progesterona durante a gravidez

Na maioria das vezes em mulheres grávidas, o aumento da progesterona é observado se eles têm:

  • um tumor ovariano benigno que se originou do corpo lúteo,
  • função prejudicada da placenta
  • patologia renal,
  • doenças das glândulas supra-renais
  • patologias congênitas e adquiridas do desenvolvimento fetal.

Razões para aumentar a progesterona

A causa mais comum de progesterona alta é a gravidez.

Uma mulher em uma posição interessante pode ter um excedente de 17-OH progesterona devido a:

  • Tomar medicamentos - alguns medicamentos afetam fortemente o equilíbrio de hormônios no corpo. Isso se aplica particularmente às drogas que contêm hormônios que visam combater o fungo e eliminar as crises epilépticas.
  • Crescimento lento da placenta - principalmente o nível do progestagênio começa a subir a partir da 13ª semana de gestação. A placenta tem uma função hormonal que produz os hormônios necessários para a vida do bebê. É por isso que seu crescimento lento é compensado pelo aumento da produção de 17-OH-progesterona.
  • Bolha - uma patologia do óvulo que raramente ocorre. Aparece devido a um processo incorreto de fertilização, em conseqüência do qual, em vez de um embrião e placenta normais, numerosos cistos são formados no útero. preenchido com líquido. A doença ocorre em aproximadamente uma em cada mil mulheres.
  • Formações de vários embriões - em uma mulher carregando dois ou mais filhos, o mesmo placento é formado no corpo. E quanto mais deles, mais 17-OH progesterona.

Razões para aumentar a progesterona, que não dependem da gravidez:

  • neoplasia ovariana benigna,
  • excreção de sangue do útero.
  • distúrbio do ciclo menstrual
  • ausência de menstruação por 6 meses ou mais,
  • disfunção renal,
  • falha planetária,
  • hiperfunção adrenal.
  • doença hepática

Sintomas de excesso de progesterona

Sintomas em mulheres não grávidas:

  • apatia
  • fraqueza
  • indiferença
  • a presença de acne na pele,
  • diminuição da libido sexual,
  • dores de cabeça freqüentes
  • dores no peito
  • hiperidrose
  • falha do ciclo menstrual
  • sangramento do útero,
  • violação do processo de defecação,
  • flatulência
  • condição de cabelo pobre.

Sintomas se a mulher estiver na posição:

  • fadiga
  • desempenho reduzido
  • fraqueza
  • indiferença
  • útero muito alargado devido à condição patológica da placenta,
  • Eu quero dormir o tempo todo
  • sensação de queimação no peito,
  • acumulação de gás nos intestinos
  • violação do processo de defecação.

Teste de Progesterona

Teste de sangue de laboratório para progesterona ajuda a determinar se o nível do hormônio é normal. Para um resultado confiável, eles passam de manhã cedo.

O teste de progesterona é frequentemente dado às mulheres:

  • para descobrir as razões pelas quais ela não pode engravidar.
  • sangramento uterino de intensidade variável,
  • problemas pronunciados com a estabilidade da menstruação.

Para as mulheres, o principal fator que afeta o nível de progesterona é o ciclo menstrual, respectivamente:

  • Se uma mulher tem um ciclo estável, então ela deve escolher o ciclo de 22 dias para a análise.
  • Se o ciclo for movediço, então a análise toma-se três vezes (o primeiro - 7 dias depois do começo da menstruação, o segundo - no dia 14 e o terceiro - em 20).
  • Se a mulher estiver em posição, a frequência da análise será decidida pelo médico assistente.

Antes de fazer a análise, você precisa:

  1. Não coma 8 horas antes da coleta de sangue.
  2. 24 horas antes da análise, não há alimentos que possam afetar o sistema nervoso central.
  3. Pacientes fumantes param de fumar uma hora antes do teste.

Como reduzir a progesterona ao normal

17-OH progesterona é reduzida com a ajuda de medicamentos prescritos pelos médicos depois de terem sido examinados e diagnosticados. Além de medicamentos, o médico pode prescrever uma dieta para o paciente, o que ajudará a estabilizar o equilíbrio de hormônios no corpo. E receitas da medicina tradicional provaram-se nesta matéria.

Medicamentos

Antes de comprar drogas, você deve procurar ajuda de um médico. Afinal, só ele pode pegar drogas que se concentrarão na eliminação das causas, que serviram para aumentar o nível do hormônio. Todas as drogas selecionam-se considerando pontos diferentes. Aqui, por exemplo:

  • "Clomifeno" é prescrito se uma mulher não está grávida e não tem doença hepática.
  • "Mifepristone" - é prescrito principalmente para melhorar o tônus ​​e as contrações do miométrio. Tem contra-indicações.
  • O "ácido valpróico" é um medicamento que ajuda a eliminar o estresse psico-emocional e aliviar o estresse.
  • "Tamoxifen" - os médicos incluem isto no decorrer do tratamento para evitar o aparecimento de tumores. Existem contra-indicações.

O principal sintoma sintomático dos níveis excessivos de progesterona nas mulheres é a obesidade, portanto, é necessário projetar corretamente uma dieta. Tal dieta implica uma restrição do uso de alimentos contendo proteínas:

  • produtos lácteos (queijo cottage, creme de leite, iogurte),
  • produtos lácteos (creme azedo, leite, creme),
  • vários tipos de queijos duros
  • carne bovina
  • produtos de feijão (ervilha, feijão, mosto, etc.),
  • nozes
  • produtos ricos em farinha.

Você também deve excluir da dieta alimentos que contêm muito colesterol:

  • cordeiro
  • bife
  • carne de porco
  • gordura
  • cérebros da carne
  • gema de ovo de galinha,
  • caviar vermelho
  • creme azedo
  • queijos gordos (parmesão, cheddar, suíço),
  • caranguejos
  • camarão
  • cavala,
  • confeitaria (doces, doces)
  • manteiga,
  • o fígado.

Os especialistas recomendam comer alimentos que contenham carboidratos:

  • vegetais,
  • greens
  • frutas
  • compota, cozida a partir de frutos secos.

Quanto às mulheres grávidas, antes de prescrever uma dieta, o médico recolhe um quadro clínico geral e, em seguida, seleciona o mais adequado. Durante a seleção da dieta, leva em conta:

  • idade gestacional
  • a presença de anormalidades patológicas
  • a presença de processos inflamatórios crônicos que são exacerbados com o início da gravidez.

É importante! Dietoterapia é prescrita pelo médico como uma terapia adicional durante o tratamento com o uso de medicamentos especiais.

Tratamento popular

Mesmo no passado distante, os métodos populares de tratamento eram populares entre as pessoas. Eles provaram repetidamente sua utilidade no tratamento de qualquer doença. Além do fato de que remédios populares ajudam a levar o excesso de progesterona ao normal, eles, juntamente com a terapia medicamentosa:

  • restaurar o equilíbrio hormonal,
  • aliviar o estresse emocional e físico
  • aliviar a fadiga crônica.

Progesterona em diferentes fases do ciclo

Antes de fazer a análise, a mulher deve determinar o dia do ciclo menstrual. Isso é fácil de fazer se for regular e tiver um comprimento de 28 a 30 dias. Se a menina tiver menstruação irregular, provavelmente o médico prescreverá uma ultrassonografia folicular ou pélvica para esclarecer o período do ciclo. Tais medidas são necessárias porque, com a abordagem da fase lútea, observa-se um aumento na taxa de progesterona no sangue.

Fase folicular

A menor quantidade de progesterona é observada durante a fase folicular - antes da ovulação. Durante este período, apenas as glândulas supra-renais estão envolvidas no desenvolvimento do hormônio, porque o corpo amarelo que se forma após o folículo amadureceu e rompeu ainda não apareceu. Ao fazer o ensaio durante a fase folicular, o conteúdo de progesterona será de 1 a 4,84 nmol / ml.

Fase ovulatória

Depois que o folículo amadurece sob a ação do FSH, um período ovulatório começa, durante o qual o saco folicular se rompe e um óvulo é liberado dele. Os tecidos residuais do folículo se transformam no corpo lúteo, que sintetiza ainda mais a progesterona por várias semanas, e então degrada.

Durante a fase ovulatória, a quantidade de progesterona no sangue começa a aumentar rapidamente, e seu valor nas análises varia de 2,4 a 9,54 nmol / ml.

Progesterona durante a gravidez

Durante a gravidez, a progesterona permanece alta, porque esse hormônio inibe a síntese de estrogênio e a rejeição endometrial. Com o advento da placenta no final do primeiro trimestre, sua produção aumenta ainda mais.

É aconselhável recolher análises de uma mulher grávida a cada primeira semana de um novo trimestre - desta forma, pode controlar correctamente a dinâmica da substância activa desejada. Durante os primeiros três meses, o conteúdo hormonal estará na faixa de 8,95-108,13 nmol / l. A segunda análise no próximo trimestre pode mostrar 71,55-303,1 nmol / l progesterona, nas últimas semanas de gravidez, este valor será na faixa de 89-771,5 nmol / l.

A progesterona é um dos fatores mais importantes que devem ser controlados nas futuras mães.

O desvio no sentido de reduzir o seu número indica um mau desenvolvimento da placenta, além disso, a falta de hormônio pode desencadear a separação do endométrio e sangramento. Se uma mulher grávida testa seu excesso, isso é resultado da degradação acelerada da placenta, que pode causar parto prematuro.

Uso de contraceptivos

Quaisquer contraceptivos orais e hormonais regularão o sistema endócrino, estimulando a produção de alguns hormônios e suprimindo a síntese de outros. A dose diária de contraceptivos constantemente mantém este efeito, razão pela qual eles devem ser tomados estritamente diariamente, ignorando uma única pílula pode reduzir significativamente as propriedades contraceptivas.

Existem diferentes tipos de contraceptivos orais: contendo progesterona - antiestrogênios, estrogênio, combinado e outros. Eles são selecionados pelo médico dependendo de quais exames de sangue a mulher terá inicialmente. Com a dosagem correta ou uso regular de comprimidos no período de aplicação de OK, o nível de progesterona estará na faixa de 3 a 66,85 nmol / l. Desvio desta norma pode sinalizar que a dosagem ou droga é selecionada incorretamente.

Progesterona pós-menopausa

Durante a pós-menopausa, a mulher interrompe o ciclo menstrual, a maturação e a liberação dos ovos, para que o corpo amarelo após a menopausa não apareça. Mas, ao mesmo tempo, a progesterona não desaparece do sangue de uma mulher, ela continua a ser sintetizada em pequenas doses no córtex adrenal. O conteúdo hormonal na análise de mulheres na pós-menopausa será de até 0,6 nmol / l.

O que afeta a progesterona?

O nível de progesterona pode ir além da norma, já que sua síntese pelo sistema endócrino é influenciada por vários fatores:

A primeira coisa que uma mulher deveria fazer se seu nível desse hormônio começasse a aumentar drasticamente - um teste de gravidez.

O efeito da menopausa nos níveis de progesterona é fácil de explicar. Com a idade, o ciclo menstrual cessa, de modo que a progesterona não é mais sintetizada pelo corpo lúteo, uma pequena quantidade é alocada apenas pelas glândulas supra-renais.

Com a tensão nervosa, o funcionamento do sistema reprodutivo é perturbado, pois em condições estressantes não é o melhor período para a gravidez, segundo a filosofia do organismo. Isso está associado a uma diminuição na concentração desse hormônio.

Além disso, o valor e a nutrição de uma mulher, assim como seu peso corporal. Com peso considerável ou falta dele, a periodicidade do ciclo menstrual é perturbada, e o nível de progesterona muda.

O FSH, que é sintetizado pelas células da hipófise, também tem um efeito indireto no nível desse hormônio. Esta substância ativa estimula o crescimento e desenvolvimento do tecido folicular, portanto, quando é deficiente em mulheres, a regularidade da ovulação é interrompida, e o conteúdo de progesterona no sangue diminui, porque sem a maturação dos folículos, o corpo lúteo não se forma.

Para as futuras mamães, os saltos de progesterona são muito mais perigosos, eles podem ser desencadeados por tais razões:

  • estresse, má nutrição,
  • toxicosis forte,
  • violação da formação da placenta,
  • degradação rápida da placenta.

Durante todo o ciclo menstrual, a taxa de progesterona varia, depende também da idade, posição da mulher e se ela toma qualquer preparação hormonal. Antes de fazer os testes, é necessário determinar as fases, e melhor o dia exato do ciclo menstrual, e no caso de gravidez, é necessário conhecer a semana gestacional.

Recomendamos artigos relacionados

A progesterona é um hormônio sexual feminino muito importante. É produzido no corpo lúteo e nas glândulas supra-renais (em pequenas quantidades).

O papel da progesterona no corpo de uma mulher é grande - depende dele que a concepção e o porte da criança dependam. A partir do momento da ovulação, a produção desse hormônio começa a crescer, graças a ele as paredes do útero se tornam mais friáveis, o número de contrações diminui, de modo que o óvulo tem a oportunidade de se fixar. A produção adicional do hormônio pelo corpo lúteo é necessária para desempenhar outras funções igualmente importantes:

  • efeito sobre o endométrio que suporta o embrião,
  • impede o início da menstruação,
  • estimula o desenvolvimento das estruturas da glândula mamária, que produzirá leite,
  • Afeta o estado psico-emocional de uma mulher, desenvolve o chamado instinto materno.

Além do grande papel na função reprodutiva feminina, a progesterona afeta todo o organismo:

  • impede a formação de cistos fibrosos,
  • reduz a viscosidade do sangue
  • controla os níveis de açúcar
  • participa no metabolismo da gordura.

O corpo lúteo, que produz diretamente progesterona, é formado após a maturação do ovo e sua liberação do folículo. A bainha restante do folículo é chamada de corpo lúteo. Assim, a progesterona começa a ser produzida no dia 12-17 do ciclo. Esse tempo é chamado de ovulação, que dura apenas 24 horas. Se o ovo não é fertilizado, ele morre.

Após a ovulação, a fase lútea ocorre, progesterona neste momento produz até 56 ng / ml - este é o seu nível máximo, então se a fertilização não ocorreu, então diminui.

Se a concepção ocorreu, a produção do hormônio continua e aumenta rapidamente - várias centenas de vezes.

Este esquema opera durante a fertilização natural, se o método ECHO é usado, então a mulher não desenvolve um corpo amarelo, respectivamente, não há nível necessário de hormônios. Neste caso, a terapia hormonal é prescrita, até que a taxa de progesterona seja atingida e ainda mais, durante a gravidez.

Quais são os efeitos de níveis reduzidos e elevados de progesterona em mulheres?

A falta de níveis hormonais afeta principalmente o sistema reprodutivo feminino.

Se a taxa de progesterona na fase lútea é reduzida, então o óvulo fertilizado não pode se fixar nas paredes do útero, morre e sai naturalmente com o endométrio - isso é menstruação.

Se a quantidade do hormônio for reduzida no primeiro trimestre da gravidez, um aborto espontâneo ocorre porque o útero está intensamente reduzido e o endométrio está insuficientemente preparado para conter o óvulo amniótico.Mas se o problema é apenas na progesterona, então é resolvido por preparações especiais, que são nomeados pelo ginecologista.

O nível do hormônio diminui devido aos seguintes problemas no corpo:

  • estágio crônico de inflamação ovariana,
  • falta de ovulação
  • ciclo mensal irregular
  • disfunção do corpo lúteo,
  • doenças da glândula adrenal.

Se a quantidade de progesterona diminui, isso afeta o nível de estrogênio - aumenta e, como resultado, a mulher tem:

  • suando
  • distúrbio do sono
  • ganho de peso
  • inchaço
  • convulsões.

A norma do estrogênio deve estar na faixa de 11 a 191 pg / ml. Nas mulheres durante a menopausa, de 5 a 90 pg / ml.

O aumento dos níveis de progesterona no organismo pode ser causado pelos seguintes motivos:

  • gravidez
  • sangramento uterino,
  • amenorréia,
  • anormalidades placentárias,
  • devido à formação de um cisto no corpo lúteo,
  • patologia adrenal.

O efeito da idade da mulher nos níveis de progesterona

Com a idade, os hormônios nas mulheres mudam completamente - a produção de certos hormônios, incluindo a progesterona, diminui, enquanto outros aumentam. Com o início da menopausa, a proporção de estrogênio e progesterona muda. O estrogênio estimula a atividade de vários sistemas do corpo, e a progesterona a inibe. Se ocorrer um desequilíbrio, as chamadas ondas de calor são observadas nas mulheres. Neste estado é caracterizado por:

  • aumento da excitabilidade
  • mudanças de humor freqüentes,
  • mau funcionamento das glândulas sudoríparas,
  • dor mamária,
  • ganho de peso.

A produção de hormônios no período da menopausa devido à atenuação da função ovariana diminui. Poucos ovos estão amadurecendo, a ovulação está ausente e a progesterona não é produzida. Mas isso não significa que seu nível de sangue caia para zero - a quantidade necessária é produzida pelas glândulas supra-renais, se sua função não for prejudicada.

Como passar um teste de progesterona

Para determinar o nível de progesterona precisa passar por um exame de sangue. Mas antes da entrega é necessário consultar um ginecologista - ele dirá a você como escolher o dia certo. Muitas pessoas prescrevem uma análise no dia 20 do ciclo, mas isso não é bem verdade, porque você precisa considerar os seguintes pontos:

  • o início da fase de ovulação. Se o ciclo menstrual é normal, então começa no 15º dia, contando a partir do primeiro dia do início do período menstrual, e com um ciclo não constante, é necessário medir a temperatura basal. Todos os dias a temperatura é fixada no reto, e quando um declínio acentuado é observado, e no dia seguinte, um aumento, isso indica o início da ovulação,
  • você pode fazer uma análise 4 dias após a ovulação,
  • é melhor fixar a dinâmica de modificações em indicadores - para levar vários dias em uma linha, de 15 para 23. Só deste modo é possível fixar o aumento de fase na produção do hormônio e comparar os resultados com o regulador,
  • tomar de manhã, com o estômago vazio, e é melhor não comer por 12 horas antes do tempo estimado de coleta de sangue.

Deve ser lembrado que se durante o período de teste houver um mal-estar e o tratamento for realizado com vários medicamentos, os resultados podem não ser confiáveis. Neste caso, eles devem ser retomados em um mês ou após o término do tratamento.

Como decifrar os resultados da análise

O nível do hormônio progesterona é medido em nanogramas (0,000001 miligramas) em um mililitro de sangue. De acordo com outro sistema em nmol - nanomoles (10 -9 mol) por litro. Indicadores normativos são mais frequentemente dados exatamente em nmol / l. Portanto, muitas vezes surge a pergunta sobre como converter ng / ml para nmol / l. Não é difícil, você só precisa usar a fórmula:

1 ng / ml * 3,18 = 1 nmol / l.

Por exemplo, em um paciente, o resultado da análise mostrou um nível de hormônio no sangue de 22,4 ng / ml. Substituindo o resultado na fórmula, você pode obter:

22,4 ng / ml * 3,18 = 71,23 nmol / l.

Dado que o sangue é tomado durante a fase lútea, e a taxa de progesterona no dia 21 do ciclo é 16.2-85.9, este resultado pode indicar a função normal do corpo lúteo e ovários - não há desvios.

Uma mulher é um coquetel complexo composto de muitos hormônios. O ingrediente principal é, naturalmente, a progesterona. É ele quem determina em grande parte a qualidade de vida de uma mulher - sua aparência, forma, humor e capacidade de se tornar mãe. Sua função de engravidar depende diretamente da quantidade de progesterona no sangue de uma mulher, mas por quê? Para entender isso, é necessário entender a lógica dos processos complexos que ocorrem a cada mês no corpo feminino.

Uma certa quantidade de progesterona é produzida pelas glândulas supra-renais, mas o volume é produzido pelos ovários. Em mulheres grávidas, essa função é assumida pela placenta. O conceito de “norma de progesterona em mulheres” é variável e depende de qual dia do ciclo mensal é selecionado para o estudo.

A primeira fase é folicular

Começa imediatamente após o fim do sangramento menstrual e é o começo do próximo ciclo. Nos folículos ovarianos, novos ovos começam a amadurecer. Durante este período, a quantidade de progesterona no sangue é mínima. Portanto, se você levar a análise de 1 a 15 dias, ela não mostrará mais do que 0,97-4,73 nmol / l.

A segunda fase - ovulatório

Por esta altura, o ovo cresce e torna-se adequado para a fertilização. Quando isso acontece, o folículo é rasgado e liberta-o. Agora ela começa sua jornada para encontrar o esperma e, gradualmente, desce pela trompa de Falópio. Mas a coisa mais interessante acontece no ovário. No lugar de um folículo rompido, forma-se uma glândula temporária - um corpo amarelo. Sua principal função é a produção de progesterona ativa. Agora, durante a ovulação, esse hormônio é necessário para o corpo:

  • Faça a camada epitelial superior do útero solto e prepare-o para a fixação de um óvulo fertilizado.
  • Ajude o óvulo a implantar e aumente suas chances de sobrevivência.
  • Fortalecer o endométrio secretor que sustenta o embrião e mantê-lo durante toda a gravidez.

Ou seja, todo mês o corpo feminino é reconstruído e se prepara para aceitar uma célula fertilizada, e a progesterona é responsável por todos esses processos complexos. Normalmente, a análise feita do 17º ao 22º dia do ciclo deve mostrar 2,39-9,55 nmlol / l.

A fase final é lútea.

Nesta fase, existem dois cenários possíveis. O primeiro - o ovo não encontrou o esperma e morreu. Então sairá durante o sangramento menstrual e o nível do hormônio no sangue, atingindo seu pico, gradualmente começará a declinar. Segunda - a fertilização ocorreu e o embrião foi fixado à parede do útero. Neste caso, o nível do hormônio começará a crescer rapidamente.

Quando o útero é fertilizado, o nível hormonal começa a crescer rapidamente.

Então, do 22º ao 29º dia do ciclo, o hormônio pode flutuar nas seguintes faixas:

  • De 6,99 a 56,63 nmol / l - se a concepção não ocorreu.
  • De 16,2 a 85,9 nmol / l - se a gravidez ainda estiver lá.

É claro que ainda é cedo para tirar conclusões desses indicadores - os valores estão muito embaçados. Uma coisa é óbvia: se o resultado for inferior a 16,2 nmol / l, então não há gravidez, mais do que 56,63 nmol / l - definitivamente lá. A figura entre 16,2 e 56,63 nmol / l é difícil de julgar sobre algo. Neste caso, é possível confirmar ou negar o fato da gravidez somente após repetidas pesquisas vários dias depois. Se a dinâmica é positiva e, em vez de diminuir, a progesterona continuará a crescer, então já é seguro falar sobre a presença do óvulo no útero.

Todos os itens acima não se aplicam a mulheres que tomam contraceptivos hormonais. O fato é que a ação dessas drogas visa impedir a ovulação. Em seus corpos simplesmente não amadurecem ovos e, portanto, não são formados e o corpo amarelo. É óbvio que a quantidade de progesterona no sangue das mulheres, neste caso, não pode ser alta. Taxa normal para eles:

  • Fase folicular - até 3,6 nmol / l.
  • Fase ovulatória - 1,52-5,45 nmol / l.
  • Fase lútea - 3,01-66 nmol / l.

A quantidade no sangue de uma mulher grávida

Múltiplas tentativas frustradas de conceber uma criança e abortos freqüentes são uma indicação óbvia da necessidade de rastrear a quantidade de burburinho. O fato é que a fertilização de um óvulo com um espermatozóide não é uma garantia de sucesso de 100%. Se a progesterona estiver abaixo do normal, o útero não será capaz de aceitar o óvulo. O hormônio deve "preparar o solo" e bloquear as contrações uterinas. Caso contrário, o embrião será percebido pelo corpo feminino como um corpo estranho e rejeitado como resultado de espasmos uterinos ativos.

Com um nível hormonal reduzido, o útero não pode aceitar um óvulo.

A quantidade de progesterona é normal em mulheres no primeiro trimestre da gravidez, ou seja, de 1 a 13 semanas - 14,9-107,9 nmol / l. Então o nível do hormônio está crescendo rapidamente todos os dias e já no segundo trimestre (14-27 semanas) consegue 61,7-159 nmol / l. Essa tendência continua quase até o final do terceiro trimestre. Tendo passado a análise por um período de cerca de 38 semanas, você pode ver o resultado em 500-509 nmol / l.

A situação muda drasticamente imediatamente antes do parto. Para empurrar o feto, o útero precisa ser reduzido, e o alto conteúdo de progesterona no sangue simplesmente não permitirá que as contrações se iniciem. É por isso que, quando a criança está pronta para nascer, o nível de progesterona começa seu pico acentuado.

Quando cai para 2,3 nmol / l, isso significa que restam dois dias antes do nascimento. Abaixo dessa marca, o hormônio não mais cai - o corpo feminino ainda precisa dele, porque agora a substância deve estimular a lactação.

Como o hormônio afeta a idade?

Já falamos sobre quais normas são determinadas pela idade fértil - tudo depende do dia do ciclo. Mas mesmo após a menopausa, quando os óvulos não amadurecem, a progesterona continua a entrar no sangue de uma mulher pelas glândulas supra-renais. Normalmente, sua quantidade deve variar de 0,32 a 2,51 nmol / l.

De grande importância neste caso é outro fator - a quantidade do hormônio estrogênio. Sua norma de idade é de 5 a 90 mg / pm. Em uma mulher saudável, esses dois hormônios sempre funcionam em um pacote. No momento em que o estrogênio estimula o trabalho de vários sistemas do corpo, a progesterona inibe a atividade excessiva. Assim, um equilíbrio é alcançado. Sua violação é causada pelas próprias marés que as mulheres sofrem tão dolorosamente durante a menopausa.

Uma diminuição acentuada no nível de progesterona (que indica um aumento no estrogênio) devido a alterações relacionadas à idade e atenuação da função reprodutiva é acompanhada por:

  • Aumento da excitabilidade nervosa.
  • Mudanças de humor.
  • Transpiração abundante resultante de anormalidades nas glândulas sudoríparas.
  • Dores nas glândulas mamárias.
  • Ganho de peso rápido.

Uma diminuição acentuada nos níveis hormonais pode ser observada com mudanças de humor.

Para compensar a falta de progesterona pode ser uma dieta especial (se estamos falando de desvios menores) ou tratamento medicamentoso. Mas antes de prescrever uma droga hormonal, o médico certamente enviará uma mulher para fazer um exame de sangue. Na maioria das vezes, é prescrito para o 21º dia do ciclo, quando um óvulo deixa o folículo. Mas, para obter os resultados mais confiáveis, você precisa usar não o método basal, mas o basal de determinar a ovulação. Melhor ainda - realizar vários testes no período de 15 a 23 dias do ciclo, a fim de acompanhar a dinâmica do crescimento e declínio no nível do hormônio.

Como o hormônio no sangue pode ser afetado pela comida, é melhor fazer uma análise pela manhã com o estômago vazio. Às vezes, os médicos recomendam que seus pacientes se abstenham das refeições por 12 horas antes da coleta de sangue.

A baixa progesterona em mulheres é bastante comum, com esse distúrbio hormonal associado a muitos sintomas desagradáveis: problemas com a pele, figura, sistema sexual, deterioração da saúde, nervosismo e muitos outros. A razão para tal desvio pode ser não só fatores endógenos, mas também recepção incorreta de operações OK ou malsucedidas. Que efeitos podem ser após uma progesterona muito baixa e como normalizar seu nível no sangue?

Antes de discutir o problema da escassez de progesterona, é necessário descobrir de onde vem essa substância e qual a sua concentração no sangue é normal.

A progesterona é um hormônio sexual feminino secretado pelo corpo lúteo - uma formação que surge do folículo após um óvulo ser liberado durante a ovulação. O local de síntese desta substância são os ovários, e também uma pequena parte é produzida no córtex adrenal e na placenta durante a gravidez. Um papel importante na síntese da progesterona é o FSH, um hormônio que estimula o crescimento e a maturação dos folículos. Com a falta do último, o corpo amarelo pode não aparecer de todo.

Não há um indicador único para a norma da progesterona, uma vez que a quantidade desse hormônio varia muito durante os diferentes períodos do ciclo menstrual. Por exemplo, antes da ovulação, quando os folículos só amadurecem, seu conteúdo no sangue não pode exceder 0,35-2,25 nmol / l, enquanto que na fase ovulatória esse valor atinge 0,5-9,5 nmol / l.

Em mulheres na pós-menopausa, quando a maturação do folículo e a ovulação não ocorrem mais, o conteúdo de progesterona é baixo, para 0,65 nmol / l, o que não afeta adversamente a saúde.

Quando a concentração hormonal diminui?

A concentração do hormônio é diferente em cada dia do ciclo. Desde o início da menstruação até a ovulação, o valor mais baixo dos indicadores é anotado. Este é um nível fisiologicamente baixo de progesterona, que aumentará após a ovulação e a formação do corpo amarelo. Na segunda fase do ciclo, observa-se um aumento na concentração. Com um corpo amarelo funcionando normalmente, o endométrio cresce abundantemente através dos vasos, sendo preparado para a implantação de um óvulo fertilizado.

A diminuição fisiológica no nível do hormônio ocorre na pós-menopausa. Após a última menstruação, a maturação dos ovos cessa, um corpo amarelo não se forma, e as glândulas supra-renais não são capazes de manter a concentração no nível adequado.

Se a progesterona for diminuída, as razões para isso podem ser as seguintes:

  • insuficiência da fase lútea do ciclo,
  • patologia tireoidiana,
  • mau funcionamento do hipotálamo e hipófise,
  • insuficiência placentária (em mulheres grávidas),
  • hiperprolactinemia,
  • hiperandrogenismo.

Indiretamente, a concentração do hormônio pode afetar o estilo de vida, os níveis de estresse, a intensidade do exercício e a nutrição.

Fase Luteal

Os níveis de progesterona abaixo do normal podem ocorrer devido à fase lútea insuficiente. Os fatores funcionais de tal condição podem ser determinados pelo estado dos próprios ovários.

Existem doenças que levam a esse histórico hormonal:

  1. Síndrome do Ovário Policístico é uma doença na qual o folículo amadurece, mas não há ruptura, permanece em estado de cisto. Ao examinar essas mulheres, toda a superfície do ovário é coberta com folículos não-rotos parecidos com favos de mel.
  2. Síndrome do ovário resistente - perda de sensibilidade do corpo aos efeitos dos hormônios hipotalâmicos, eles não respondem à ação dos hormônios folículo-estimulante e luteinizante, enquanto o ovo não amadurece.
  3. A síndrome do hiper-retardo ovariano se desenvolve sob a influência de fatores desfavoráveis ​​ou drogas que inibem o efeito da glândula pituitária.
  4. A síndrome da exaustão prematura implica um início precoce da menopausa. Considera-se normal interromper a menstruação após 45 anos, mas às vezes em mulheres após 40 ou 35 anos, sob a influência de estresse, radiação, quimioterapia e medicação, ocorre a menopausa prematura.

Causas orgânicas de baixa progesterona na fase lútea estão na presença de endometriose, câncer do útero ou dos ovários, pólipos uterinos, miomas, endometrite. O efeito na segunda fase do ciclo menstrual é fornecido por manipulações e operações intra-uterinas (curetagem diagnóstica e aborto).

Efeito da glândula tireóide

O hipotireoidismo afeta negativamente a fertilidade e os hormônios. Sob a influência dos hormônios da tireoide, uma proteína é sintetizada no fígado, que liga e remove a testosterona e o estradiol. Se esta proteína não for suficiente, uma quantidade aumentada de testosterona ativa aparece no sangue, que é capaz de suprimir a ovulação. Isso significa que o corpo amarelo não amadurece, a progesterona permanece em uma quantidade mínima.

A violação da inativação do estrogênio sob a influência de uma deficiência do hormônio tireoidiano leva a um aumento na sua concentração que, de acordo com a lei do feedback, afeta a secreção dos hormônios luteinizante e estimulante dos folículos, o que agrava a perturbação da menstruação.

Para essas mulheres é caracterizada por infertilidade. Às vezes a gravidez ocorre, mas o risco de término prematuro ou hipotireoidismo congênito em uma criança é sempre grande.

Efeitos do hipotálamo e hipófise

As glândulas centrais que regulam o trabalho de todos os outros são o hipotálamo e a hipófise. Uma mudança em sua função leva ao desenvolvimento de tipos centrais de distúrbios da secreção hormonal. Tumores dessas áreas do cérebro, fornecimento insuficiente de sangue reduzirão a secreção de hormônios trópicos, e o trabalho de todas as glândulas será inibido. O hipogonadismo hipofisário é uma das patologias que levam ao aborto devido à deficiência de progesterona.

Função hormonal da placenta

A placenta assume a função da síntese de progesterona desde o momento da sua formação, geralmente ocorre após 16 semanas. Se houver perturbações no desenvolvimento da placenta, sua formação anormal, calcificação e envelhecimento prematuro, o conteúdo da progesterona é perturbado.

Hiperandrogenismo

Um aumento no número de andrógenos leva ao desenvolvimento de anovulação. Ao mesmo tempo, uma densa cápsula é formada nos ovários, o que impede a liberação de uma célula-ovo normal. A razão para aumentar a concentração do hormônio é um tumor das glândulas supra-renais ou dos ovários.

Hiperprolactinemia

A prolactina é um hormônio que promove a proliferação das glândulas mamárias e aumenta a produção de leite. Seu aumento ocorre in vivo após o parto. No caso de tumores hipofisários, distúrbios circulatórios, a regulação da função do hipotálamo muda, o que afeta os níveis de FSH e LH. A falta de hormônios estimulantes do ovário leva a uma falha do ciclo.

No período pós-parto, há uma inibição natural da ovulação, devido ao fato de que a alta prolactina inibe a maturação do ovo. Esta é uma resposta de precaução que visa preservar a saúde de uma mulher: a re-gravidez após um curto período de tempo esgota o corpo e leva a complicações sérias para a mãe e a criança.

Outros fatores da progesterona baixa são dieta não saudável, falta de proteínas alimentares, produtos de origem animal. Da mesma forma, há uma deficiência de vitaminas. Em situações estressantes, o esforço físico pesado, que também é percebido como estresse, afeta a secreção de neurotransmissores, que suprimem a ovulação e a produção de hormônios.

Quando você pode suspeitar de uma diminuição na progesterona

Os sintomas da deficiência de progesterona nas mulheres se manifestam em distúrbios menstruais e problemas de concepção. A gravidade dos sintomas depende das características individuais, do grau de redução do hormônio e de sua relação com o estrogênio.

Nas mulheres em idade reprodutiva, o ciclo menstrual torna-se irregular. Os atrasos mensais podem durar até vários meses. Se a menstruação ocorre, então é longa e com sangramento profuso. Muitas vezes há sangramento uterino dicirculatório. Essa é a aparência de descargas sangrentas de intensidade variável durante um período de ciclo não característico. Neste caso, a intervenção médica é necessária.

Sinais de deficiência de progesterona se manifestam sob a forma de fadiga constante, fadiga rápida. O sódio é fortemente retido no corpo, razão pela qual há inchaço, que as mulheres tomam para ganho de peso.

Síndrome pré-menstrual pronunciada é devido ao seu aparecimento de progesterona reduzida. Durante este período, as glândulas mamárias estão mal-humoradas, aparecem oscilações de humor, dor de cabeça, muitas vezes se transformando em enxaqueca.

O endométrio despreparado não é capaz de aceitar um óvulo fertilizado.

Posso engravidar com progesterona baixa?

Depende do grau de declínio. Às vezes a gravidez ocorre, mas a falta de suporte hormonal não permite que ela se desenvolva.

Normalmente, o hormônio deve reduzir a atividade contrátil dos músculos do útero, inibir a imunidade local para que não haja rejeição do óvulo, que é 50% estranho. Mas nos estágios iniciais da gravidez, a baixa progesterona causa aborto espontâneo. Se uma mulher sabia sobre a gravidez, o aparecimento de sangramento, dor no abdômen deve alertá-la. Quando o ultra-som de tais condições são encontrados sinais de descolamento do óvulo, sob ele forma-se um hematoma, que não permite que o embrião se ligue.

Se uma mulher não soubesse da gravidez, sua interrupção seria como uma menstruação abundante e prolongada, que o obrigaria a consultar um médico.

Nos estágios posteriores da gravidez, os sinais de deficiência de progesterona são prolongados. O período normal de gestação é de 40 semanas, um desvio de 2 semanas para cima ou para baixo é permitido. Se o parto não tiver começado por 42 semanas, a criança é ameaçada com lesões no nascimento devido à ossificação das suturas do crânio. Sua cabeça não pode ser suficientemente configurada para repetir a forma do canal do parto.

Em mulheres mais velhas, que estão no limiar da menopausa, uma diminuição na progesterona e um aumento relativo simultâneo do estrogênio aumentam o risco de hiperplasia endometrial e oncologia no útero.

Formas de confirmar suspeitas

Se uma mulher é perturbada por irregularidades menstruais, aborto espontâneo ou ameaça de interrupção, então você deve fazer o teste de progesterona. É prescrito para mulheres não grávidas no 22-23 dia do ciclo com a duração de 28 dias, quando o valor fisiológico é máximo. Para aqueles cujo ciclo difere em duração, o dia é determinado pelo médico assistente. As mulheres grávidas fazem pesquisas independentemente do período.

Se uma mulher tem um grande atraso na menstruação, o estudo é realizado em qualquer dia, mas eles não o fazem isoladamente, mas em combinação com os outros hormônios:

Os hormônios do sangue tomados de uma veia estritamente em um estômago vazio. Um dia antes do teste não pode comer alimentos gordurosos, álcool. No dia do estudo, é permitido beber água limpa.

Por que os níveis de progesterona são baixos podem ajudar a identificar estudos adicionais:

  1. A análise bioquímica do sangue reflete o estado funcional do corpo, patologia hepática. (Com cirrose, insuficiência hepática, utilização de hormônios e síntese de proteínas são perturbadas, portanto ocorre falha hormonal).
  2. Os hormônios tireoidianos são necessários para confirmar ou refutar o estado de hipotireoidismo.
  3. A ultrassonografia dos órgãos pélvicos mostrará o estado dos ovários, a presença de um folículo dominante em maturação ou o resultante corpo amarelo neles, e também permitirá suspeitar da síndrome dos ovários policísticos. O exame reflete o estado do útero, a presença de patologia adicional na forma de miomas, endometriose, neoplasias.
  4. Uma ultra-sonografia abdominal é necessária para determinar o estado do fígado, as glândulas supra-renais. Certifique-se de realizar um estudo de eco da glândula tireóide.
  5. Exame de raio-X da sela turca, tomografia computadorizada ou ressonância magnética do cérebro é necessário para excluir a causa central na redução da progesterona na forma de um tumor hipofisário.
  6. A laparoscopia diagnóstica é realizada para determinar visualmente o estado dos ovários. Em caso da doença polycystic, o tratamento também é possível - dissecação de uma cápsula densa.

O exame com progesterona reduzida pode incluir outros métodos, cuja escolha é da competência do médico assistente.

Correção do fundo hormonal

Fazer um diagnóstico preciso lhe dirá o que fazer em caso de distúrbio hormonal. O tratamento da patologia depende da causa subjacente da produção reduzida de progesterona. Para tumores da hipófise, o tratamento por um oncologista é necessário. Mulheres com distúrbios da tireóide devem ser encaminhadas a um endocrinologista.

A hiperprolactinemia é tratada prescrevendo bromkriptina, cabergolina, se a causa for comprometimento funcional. Os tumores da hipófise são tratados por cirurgia, quimioterapia ou radioterapia.

O tratamento necessariamente começa com a correção do estilo de vida e nutrição. Uma mulher deve descansar pelo menos 8 horas e o sono noturno deve ser de 22 horas. Situações estressantes limitadas. O alimento é normalizado, deve ser equilibrado na quantidade de proteínas, gorduras e carboidratos, conter produtos de origem animal, legumes frescos e frutas.

A terapia hormonal é prescrita por vários tipos de drogas. Com baixa progesterona em mulheres grávidas com sinais de ameaça de aborto, Duphaston é usado. A droga está disponível em comprimidos, que são tomados diariamente a cada 8 horas. A dosagem é selecionada pelo médico individualmente.

No caso de endometriose, o Duphaston é usado do 5º ao 25º dia do ciclo ou no modo contínuo. Ao planejar a gravidez para pacientes com infertilidade, cuja causa é a insuficiência da fase lútea, use a droga de 14 a 25 dias por pelo menos 6 meses, e depois continue a apoiar a droga com o início da gravidez até a formação da placenta.

A Duphaston também trata estas condições:

  • síndrome pré-menstrual
  • dismenorréia,
  • menstruação irregular,
  • amenorréia,
  • para parar e prevenir o sangramento uterino disfuncional,
  • em terapia de reposição hormonal em combinação com estrogênio.

O utrogestano tem um efeito semelhante. A droga está disponível na forma de comprimidos para administração oral ou uso intravaginal. As indicações de uso coincidem com as do Duphaston.

Há uma solução de óleo de progesterona - Oxyprogesterone. É utilizado para administração intramuscular. A conveniência desta forma reside na lenta liberação gradual do hormônio no sangue. Portanto, a indicação será o tratamento e prevenção de aborto espontâneo, amenorréia. Com a ajuda da solução pode causar o início da menstruação. Para fazer isso, a droga é injetada no músculo todos os dias. Geralmente prescrito de 3 a 5 injeções. Após 7-10 dias após a última injecção, por vezes mais cedo, a mulher começa a menstruar. Desde o primeiro dia da menstruação, um contraceptivo oral combinado é prescrito, o que irá definir os ovários para funcionar normalmente e ajudar a curar amenorréia.

As conseqüências da insuficiência hormonal são sentidas por mulheres de qualquer idade. Se houver sintomas pronunciados de síndrome pré-menstrual, dificuldade em conceber, então você não deve tentar resolvê-los sozinho ou fingir que tudo está normal. O tratamento atrasado é mais difícil. E o diagnóstico oportuno permitirá que você esqueça os sintomas desagradáveis ​​e viva uma vida plena.

Conceitos Gerais

O MC consiste em duas fases principais: a maturação do folículo e a fase lútea. Até a maturidade, a deficiência de progesterona é máxima. Quando o óvulo maduro sai, o hormônio cresce devido ao corpo lúteo. Seu pico ocorre na primeira semana após a ovulação. Na ausência de concepção neste momento, há um declínio ativo e a nova menstruação é novamente mínima.

Se o óvulo é fertilizado, o hormônio está em constante crescimento. Ele fornece o implante de zigotos no endométrio e previne o aborto espontâneo. Os níveis de progesterona diminuem apenas no final do terceiro trimestre. Esta falha é necessária para que o útero possa ser reduzido no processo de parto. O corpo lúteo é uma glândula endócrina auto-formadora no local de um folículo dominante em ruptura.

Um ciclo dá apenas 1 folículo maduro. Assim, um corpo amarelo. É estimulado por LH - hormônio luteinizante da glândula pituitária. Seu fracasso reduz a progesterona também.

Em geral, o sistema hipotálamo-hipófise-ovários é complexo e frágil ao mesmo tempo. Quando a progesterona é alta, o MC é normal, restaura. E mais perto da menstruação, o hormônio cai e os músculos do útero se contraem - a menstruação ocorre.

Causas de progesterona reduzida durante a gravidez

Em mulheres grávidas, a deficiência de progesterona pode ocorrer quando:

  • violações da placenta,
  • mau funcionamento da cadeia hipotálamo-hipófise,
  • stress,
  • cargas de qualquer tipo,
  • meningite e encefalite,
  • aumentar a prolactina
  • patologias de ovários e tubos, doenças da tireóide.

Manifestações sintomáticas

A irregularidade do MC e do PMS pesado é formada. A progesterona é substituída pelo estrogênio. Falta de progesterona nas mulheres: sinais de escassez e sintomas - a mastopatia se desenvolve, a saúde geral piora. Puerperal mulheres podem desenvolver depressão. Quando a progesterona não é suficiente, o inchaço está aumentando, porque o progestágeno tem propriedades diuréticas. A principal manifestação é astenia.

Os sintomas de progesterona baixa se manifestam como distúrbios afetivos, cefaléia crônica, extremidades frias, hipertensão, distúrbios da libido em qualquer direção, letargia pela manhã.

Um sinal de falta de progesterona nas mulheres pode ser ressecamento na vagina, ganho de peso e mais no abdômen e nas coxas. Uma mulher sofre de sudorese excessiva, há dor e inchaço das glândulas mamárias, a perda de cabelo é notada. Mas você precisa saber que muitas manifestações da deficiência de progesterona após o término da menstruação desaparecem.

Pode haver DMK - sangramento uterino disfuncional. Eles são abundantes e longos - mais de uma semana. Esta evidência de progesterona reduzida requer a intervenção de médicos. Durante a gravidez, a progesterona aumenta a cada trimestre. O controle de seu conteúdo é necessário até o nascimento. A progesterona baixa (abaixo do normal) leva à infertilidade.

Baixa progesterona e distúrbios em mulheres com gestação em 70% dos casos terminam em aborto espontâneo. Ao rastrear BT, quando desce, indica uma diminuição no hormônio e na anovulação.

Deficiência e sintomas de progesterona: durante a gestação, isso leva a um aumento no tônus ​​do útero e, muitas vezes, ao nascimento prematuro. Quão perigosa é a progesterona baixa? Se este não for o caso, os sintomas podem ser observados dor espástica no baixo ventre.

Baixos níveis de progesterona durante a gravidez podem levar a complicações:

  • aborto perdido
  • abortos, gravidez perehozhennaya.
  • A mulher tem febre e cãibras no umbigo, sangrando
  • ou manchando,
  • vômito e febre,
  • queda de cabelo (alopecia) ou crescimento do cabelo masculino,
  • falta de leite
  • desenvolvimento de tumores malignos.

Os sintomas de deficiência ainda se manifestam no fato de que um hormônio baixo reduz a imunidade de uma mulher e ele é incapaz de suprimir antígenos fetais.

Estudo de Progesterona

O sangue deve ser entregue uma semana após a ovulação, com o estômago vazio. Alimentos podem aumentar os níveis hormonais. Uma mulher pode determinar a data da ovulação acompanhando o BT ou monitorando o ultrassom.

Se a progesterona na fase do corpo lúteo é sempre máxima, então é passada. O estado psicoemocional dentro de 3 dias antes da entrega da análise deve ser extremamente calmo.

Uma vez que o nível de progesterona no corpo feminino é muito instável, é impossível tirar conclusões para obter dados objetivos apenas dessa rendição. É melhor doar sangue duas vezes em um dia. Em seguida, repita-o no próximo ciclo. Progesterona é normal

de 10 a 50 ng / ml. Quando o folículo ainda não amadureceu, a progesterona é reduzida - não mais do que 0,35-2,25 nmol / l, após a ovulação já é 0,5-9,5 nmol / l. Na gravidez, os números podem aumentar para 250 ng / ml. Diminuição do hormônio, abaixo de 3 ng / ml indica anovulação. Indicadores em diferentes laboratórios são diferentes, dependendo do equipamento.

Medidas para aumentar o hormônio

Como aumentar esse hormônio? Para isso existem 2 maneiras: medicinal e natural. Droga - é terapia de reposição hormonal (TRH). A aceitação dessas drogas melhora a saúde e logo elimina os abortos espontâneos durante a gestação.

Mas o tratamento é frequentemente complicado por esses métodos: os hormônios, quando tomados, sempre produzem efeitos colaterais. Por exemplo, essas drogas hormonais interrompem o funcionamento do fígado e dos rins, o ganho de peso e a queda de cabelo ocorrem.

Além disso, as consequências - aumento da coagulação do sangue -, mas isso é bastante raro. Além disso, a abolição do COCK, se uma mulher os tomou por anos, também provoca uma falta de hormônio nas mulheres. Os mais comumente prescritos são Duphaston, Crinon, Prajisan, Oxyprogesterone, Utrogestan, Lutein, Injest.

Como aumentar a progesterona em mulheres por outros métodos? O caminho natural é mais longo. Ele exige mudar completamente seu modo de vida, mas não produz efeitos colaterais.

Como aumentar os níveis de progesterona? Para começar, é desejável para eliminar o estresse, evitar conflitos, evitar o excesso de trabalho, relaxar, reduzir o estresse, também aumentar a progesterona, mais frequentemente sair da cidade nos fins de semana e muitas vezes a pé.

Como aumentar a progesterona naturalmente? O exercício deve ser moderado.

Além disso, mudar a comida: você precisa excluir produtos que aumentam o estrogênio: leguminosas, semente de gergelim e linho, sementes, trigo mourisco, chocolate. Você pode aumentar o nível de progesterona aumentando os produtos que aumentam a progesterona: você precisa saber que vit.C, B6 e colesterol desempenham um grande papel nisso. Por exemplo, comprimidos de ácido ascórbico a uma dose de 750 mg durante 6 meses normalizam a progesterona, i.e. pode ter um efeito regenerador.

É possível alcançar o mesmo sucesso com comida? Consumo de carne, produtos lácteos e gemas são bem-vindos. O que mais fazer para aumentar a proteína? Na mesa deve ser cereais e cereais, frutos do mar e nozes, bananas, ervas e legumes. A falta de progesterona nas mulheres é sempre acompanhada por um aumento do estrogênio. Portanto, não use ervas que aumentam os hormônios estrogênicos: hortelã, lúpulo, alcaçuz, trevo vermelho, alfafa, angélica, folhas de framboesa.

Use ervas que aumentam a progesterona: inhame selvagem e árvore Abrahamo. Dos oligoelementos importantes para o crescimento da progesterona pode ser chamado de Zn e Mg. Por que o estresse reduz a progesterona? O estresse reduz a produção de cortisol e começa a se formar a partir da progesterona, que causa baixa progesterona nas mulheres.

Entre as maneiras de lidar com o estresse, incluem-se um sono completo - pelo menos 8 horas e dormir até 22 horas depois. Você pode aplicar um creme de inhame selvagem contendo progesterona. Este creme é utilizado na pré-menopausa, de 12 a 26 dias do CM, na dose de 20 mg / dia. Você também deve deixar de fumar e álcool. O aumento dos remédios populares de progesterona também é possível se não houver patologias pronunciadas e uma ligeira diminuição.

Princípios do tratamento

Sempre começa com a correção de sua dieta e regime. O tratamento da redução da progesterona é uma obrigação. Não existem maneiras universais, porque há muitas razões. Mas o auto-tratamento é excluído. No primeiro trimestre da gestação, os hormônios acima são prescritos. Os tumores da hipófise requerem medidas radicais. Дающей симптомы низкого гормона у женщин, патологии ЩЖ лечатся эндокринологом.

Повышенный пролактин лечить Каберголином, Бромкриптином. Низкий прогестерон в лютеиновой фазе требует уже не таблеток ОК. A terapia deve ser parenteral - progesterona simples, endometrina. Esses hormônios são administrados por via intramuscular, transdermal ou como implantes.

Como aumentar a progesterona em mulheres? Com violações da fase do corpo lúteo, não só a medicina é usada hoje, mas também novas tecnologias modernas no campo da reprodução - fertilização por fertilização in vitro. Muitas vezes ajuda a restaurar a progesterona e aumenta a imunidade.

Como os sinais de deficiência aparecem?

Hormônio produzido na segunda metade do ciclo (na sua fase lútea) pelo corpo lúteo do ovário e do córtex adrenal. Durante a gravidez, também produz a placenta.

Na vida cotidiana com outros hormônios, ele responsável pela saúde das mulheres, controla sua capacidade de conceber, forma o corpo feminino e até afeta o equilíbrio mental e as características psicológicas.

Tanto o excesso de progesterona quanto sua deficiência podem levar a consequências muito sérias.

Você pode suspeitar de uma falta de progesterona, se uma mulher de repente começa a sentir as seguintes doenças:

  • glândulas mamárias aumentam e tornam-se doloridas quando tocadas,
  • há menstruação pesada dolorosa e não característica,
  • humor muitas vezes e rapidamente mudando
  • irritabilidade incomum aparece,
  • dores de cabeça começam a incomodar
  • pernas começam a inchar ou uma sensação de peso aparece nelas,
  • membros frios
  • aumento de peso
  • a pele fica mais pálida e seca,
  • erupção cutânea aparece
  • queda de cabelo
  • preocupado com a transpiração,
  • obstipação frequente
  • há problemas com o sono.

O que pode levar?

Praticamente cada um dos sintomas acima pode se tornar tão desagradável que exigirá uma visita a um médico. No entanto, esta não é a pior coisa que pode causar deficiência de progesterona. Uma mulher perde a capacidade de engravidar facilmente ou para informar o final da criança. Alterações no endométrio da cavidade uterina dependem da progesterona. As conseqüências de uma deficiência podem ser endometriose extensa e outras doenças femininas.

Quando uma mulher engravida, alterações do centro hormonal. Inicialmente, a síntese ocorre no corpo lúteo. Então a função de síntese vai para a placenta. Em uma mulher grávida, o principal sintoma da deficiência de progesterona é o aborto espontâneo no primeiro trimestre.

Nível durante a gravidez deve atingir um valor mais alto que o usual na fase 2 do ciclo, se a concepção não acontecer. Isso porque, quando o embrião aparece no corpo, o corpo lúteo é ativado, alimentando o óvulo fertilizado.

Na ausência ou insuficiência deste processo existe uma ameaça de aborto espontâneo. Essa condição se manifesta por secreção e descolamento sanguíneo do óvulo, diagnosticados por ultra-som.

Portanto, na presença de deficiência de progesterona, as mulheres estão em risco em abortos precoces.

Quando a menopausa diminui o nível de todos os hormônios. O corpo perde a capacidade de conceber crianças: para alguém isso acontece mais cedo - depois de 40 anos, para alguém mais tarde - depois de 50. Durante muito tempo, acreditava-se que a ausência de progesterona nesse período é normal, mas nos últimos anos, os médicos chegaram à conclusão de que menopausa.

Diminuição simultânea da progesterona e aumento da quantidade de estrogênio aumenta o risco de câncer no útero e hiperplasia endometrial. Para encontrar a dosagem necessária terá que passar a análise de hormônios. O equilíbrio restaurado durante a menopausa reduzirá seu desconforto, eliminará o calor e as ondas de calor e também reduzirá os riscos de desenvolver patologias inerentes a esse período.

Por que não o suficiente e há uma escassez?

Existem muitas razões que causam a deficiência de progesterona. Aqui estão os mais comuns:

  • insuficiência hormonal,
  • a presença de doenças crônicas não tratadas,
  • a presença de doenças ginecológicas
  • disfunção da placenta ou do corpo lúteo,
  • falha do ciclo menstrual
  • terapia medicamentosa a longo prazo,
  • doenças oncológicas
  • alta labilidade emocional
  • atividade física excessiva
  • tabagismo e consumo excessivo de álcool,
  • ecologia ruim
  • trabalho em produção perigosa,
  • dieta insalubre, falta de sono e outras delícias da vida insalubre.

Recursos de síntese

Progesterona começa a ser sintetizado apenas na 2ª metade do ciclo devido ao fato de que sua formação depende diretamente do corpo lúteo, que é formado somente após o folículo ser rasgado.

Isto é, o processo normal de formação de progesterona é dependente de estrogênioque regula todos os processos que ocorrem na 1ª fase do ciclo. Se o estrogênio não é suficiente, o óvulo é incapaz de cortar o folículo, e a produção de progesterona não ocorre.

Na fase lútea (segunda)

Um aumento na fase lútea contribui para a formação de um endométrio denso. Isso é necessário para que um óvulo já fertilizado possa encontrar seu lugar e se prender à parede do útero.

Com uma pequena progesterona, a gravidez se tornará impossível. O óvulo fetal não será capaz de se prender ao útero e a gravidez não virá.

Métodos diagnósticos

Se uma mulher está preocupada com os sintomas acima, e além disso, problemas com conceber e carregar uma criança, você deve passar a análise sobre a quantidade de progesterona.

Mulheres deve doar sangue no dia 22-23 do ciclo com uma duração média de 28 dias, quando o valor da progesterona é máximo.

Se o ciclo tiver uma duração diferente, o dia da análise é determinado pelo ginecologista. As mulheres grávidas podem fazer o teste em qualquer dia.

Se houver um longo atraso na menstruação, a análise pode ser realizada a qualquer momento, mas não apenas o nível de uma progesterona é estudado, mas também todos os outros hormônios.

Para determinar a causa da diminuição também ajudará:

  • bioquímica do sangue - para determinar a presença de patologias hepáticas,
  • hormonas da tiróide - para determinar a presença de hipotiroidismo,
  • Ultrassonografia pélvica para examinar o estado e funcionalidade dos ovários, útero e identificar doenças nesses órgãos,
  • MRI do cérebro para excluir um tumor hipofisário.

Outros testes também podem ser prescritos para exame, a critério do médico assistente.

Depois de descobrir as razões do declínio, comece sua correção. O tratamento da doença que causou esta condição é realizado primeiro. Uma mulher deve normalizar seu estilo de vida - O sono deve durar pelo menos 8 horas e deve começar com 22 horas. É necessário normalizar a comida e aderir a uma dieta especial. O estresse deve ser evitado.

O que fazer

A progesterona insuficiente em mulheres grávidas é tratada com duphastonque é tomado a cada oito horas. Com a endometriose, a medicação é tomada de forma contínua ou do 5º ao 25º dia.

Ao planejar uma gravidez

Ao planejar uma gravidez para mulheres com infertilidade causada por insuficiência luteínica O duphaston é prescrito do 14º ao 25º dia do ciclo durante seis mesese depois mude para manutenção antes da gravidez.

Também duphaston tratado:

  • síndrome pré-menstrual
  • períodos irregulares,
  • dismenorréia,
  • amenorréia,
  • sangramento uterino.

Na terapia de reposição hormonal, o duphaston é prescrito juntamente com o estrogênio. O mesmo efeito tem Utrozhestan, que é atribuído nos mesmos casos.

Oxiprogesterona

Solução de óleo de oxipropesterona usado para administração de i / m. Oxyprogesterone é prescrito para a ameaça de aborto e amenorréia. A vantagem da administração intramuscular é a liberação gradual do hormônio. O início da menstruação é causado pela administração de oxiprogesterona a cada dois dias. Padrão para esses fins é o suficiente 3-5 injecções. Uma semana após o início da última menstruação.

Refeições durante o período de tratamento deve ser racional. Existem também produtos específicos que podem afetar positivamente a produção de progesterona. Isto é:

  • leguminosas - feijões, ervilhas, lentilhas, etc.
  • quase todas as nozes
  • quaisquer produtos lácteos, incluindo laticínios e queijos,
  • carne magra e fígado
  • gema de ovo,
  • farinha de aveia e cereais integrais,
  • framboesa, abacate, azeitonas.

Conclusão

As consequências da falta de hormônios podem ser sentidas por mulheres de qualquer idade. Se houver sintomas pronunciados de falha, síndrome pré-menstrual, problemas de gravidez, não os resolva por conta própria. Quanto mais tarde o tratamento é iniciado, mais difícil é. Diagnóstico e tratamento oportunos permite que você esqueça os sintomas de desconforto e comece a viver uma vida plena.

Caldo de Rowanberry Vermelho

As bagas Red Rowan ajudam a restaurar o sistema endócrino no corpo e a reduzir a quantidade de progesterona no sangue. Receita culinária:

  1. 2 colheres (sobremesa) da cinza de montanha vermelha despeje água fervente (360 ml).
  2. Deixe fermentar por 60 minutos.
  3. Após a decocção é insistido, deve ser drenado duas vezes através de quatro gaze dobrada.

Beber decocção pronta de 100-120 ml por dia.

Infusão de cravo

O cravo é ótimo para aliviar os sintomas de várias doenças da pele que ocorrem com excesso de hormônio. Receita culinária:

  1. 4 horas colheres de dente derramar água fervente (350 ml.).
  2. Deixe fermentar por 30 minutos.

Beba infusão 4 vezes ao dia.

Infusão de sementes de cenoura selvagem

Cenoura selvagem ajuda a estabelecer o trabalho do sistema hormonal e nervoso, impede o aparecimento de colesterol. Receita culinária:

  1. 4 h de colheres de sementes despeje água fervente (650 ml),
  2. Limpe em local escuro por 24 horas.
  3. Coe a bebida gelada através de várias camadas de gaze.

Tome a infusão deve ser 3 vezes ao dia.

Causas de baixa progesterona

O nível de progesterona no corpo feminino está em constante mudança, dependendo da fase do ciclo menstrual. Na fase folicular, sua quantidade é pequena. E após a ovulação, o local do folículo rebentante substitui o corpo lúteo (glândula secreção temporária). Produz progesterona, preparando o útero para a introdução do embrião e o corpo de uma mulher como um todo - para suportar a gravidez.

Se a gravidez não chegou, o corpo lúteo regride independentemente, o nível hormonal diminui e a menstruação começa. Quando o embrião é inserido no útero, a glândula continua a produzir progesterona até que a placenta assuma essa função.

Se houver suspeita de que o nível de hormônio esteja diminuído, uma análise especial é prescrita. Para pesquisa use sangue de uma veia.

Uma causa natural da progesterona baixa é a menopausa, quando os ovários deixam de funcionar adequadamente e produzem ovos. Ao mesmo tempo, as glândulas supra-renais não podem fornecer a concentração normal de progestinas no sangue. Em outros casos, a baixa progesterona indica o desenvolvimento de patologia.

Doenças do hipotálamo ou hipófise

A hipófise e o hipotálamo são responsáveis ​​pelo funcionamento das glândulas endócrinas, portanto, a violação de suas funções afeta negativamente a produção de hormônios no organismo. A causa desta patologia pode ser:

  • neoplasias na área dessas estruturas cerebrais,
  • violação da circulação cerebral,
  • nanismo hipofisário (nanismo).

Deficiência de fase lútea

As causas da baixa progesterona na fase lútea incluem:

  • neoplasias benignas ou malignas nos órgãos pélvicos,
  • síndrome de ovário policístico (um folículo maduro não sai, e um cisto se forma neste lugar),
  • o uso de drogas que suprimem a função da glândula pituitária,
  • endometriose ou endometrite,
  • depleção prematura do ovário (cessação da menstruação em mulheres com menos de 45 anos de idade como resultado de quimioterapia ou radiação).

Hiperandrogenemia

Neoplasias nos ovários ou glândulas supra-renais que produzem o hormônio sexual masculino testosterona podem ser a causa da baixa progesterona. Como resultado disto, os ovários são cobertos com uma cápsula densa que não passa o ovo. A mulher não tem ovulação e o corpo amarelo que segrega o hormônio não se forma.

Doenças da glândula tireóide

As patologias da glândula tireóide levam ao fato de que os hormônios tireoidianos, que afetam a síntese de uma proteína especial que liga e remove a testosterona e o estradiol do corpo, são produzidos em quantidades insuficientes. Como resultado, seu número no corpo aumenta, o que afeta negativamente a ovulação e a formação do corpo lúteo.

Hiperprolactinemia

A prolactina é uma hormona que é responsável pelo crescimento e desenvolvimento das glândulas mamárias no corpo feminino, e também estimula a lactação no período pós-parto. Suprime a produção de progesterona, protegendo assim a mulher da nova gravidez durante a amamentação.

Mas, em alguns casos, um aumento da quantidade de prolactina é observado em mulheres não grávidas. Isso é possível com tumores na glândula pituitária ou distúrbios da circulação cerebral. O excesso de hormônio afeta negativamente a maturação do ovo e a ovulação.

Insuficiência placentária

Normalmente, após a décima sexta semana de gravidez, a placenta assume todas as funções de produzir progesterona. Mas existem certas patologias que podem atrapalhar esse processo. Estes incluem:

  • violação da formação da placenta (como resultado de anomalias genéticas),
  • envelhecimento prematuro da placenta (devido a distúrbios metabólicos ou circulação sanguínea em certas áreas),
  • calcificação placentária (causas podem ser maus hábitos, infecções urogenitais, doenças sistêmicas).

Outros fatores

Outros fatores que afetam negativamente o nível de progestinas em mulheres incluem:

  • exercício pesado
  • situações estressantes
  • falta de vitaminas no corpo,
  • dieta inadequada, em que a dieta contém pouca gordura e proteína animal.
Com baixa progesterona, deve-se prestar atenção ao exercício e longas caminhadas ao ar livre. Você precisa dormir pelo menos 8 horas por dia.

Baixa progesterona nos homens

As seguintes doenças / condições podem ser a causa da baixa progesterona nos homens:

  • disfunção erétil
  • o crescimento do tecido prostático,
  • processo inflamatório na área genital (prostatite, epididimite, orquite),
  • câncer de próstata
  • torção ou remoção dos testículos,
  • insuficiência renal.

Além disso, o nível do hormônio é influenciado pela observância de uma dieta desequilibrada e pelo uso prolongado de antibióticos do grupo de penicilinas ou drogas antiepilépticas.

Sintomas de baixa progesterona

Sintomas de baixa progesterona em mulheres:

  • fadiga que ocorre na ausência de exercício,
  • irregularidades menstruais, menstruação pesada prolongada,
  • síndrome pré-menstrual pronunciada
  • inchaço
  • afecções da pele: estrias na pele, a pele fica pálida e seca, pode descascar, erupção cutânea na pele,
  • insônia
  • perda de cabelo
  • violação da termorregulação do corpo, resultando em sudorese grave ou calafrios freqüentes,
  • a ameaça de aborto ou interrupção da gravidez nos estágios iniciais,
  • infertilidade

O fato de um homem ter progesterona mais baixa pode ser indicado por tais sinais como emocionalidade excessiva, irritabilidade e oscilações de humor frequentes. Representantes do sexo mais forte, em que a quantidade do hormônio é muito baixa, muitas vezes caem em depressão.

Baixa progesterona no corpo pode causar perturbações na produção de hormônios androgênicos, o que leva à interrupção das funções sexuais, perda do desejo sexual.

Como aumentar a progesterona

Se uma mulher tem baixa progesterona, ela é prescrita drogas hormonais. Eles são tomados em um determinado padrão, que é selecionado pelo médico individualmente.

Atenção especial é dada à progesterona ao planejar a gravidez. Se o nível hormonal for reduzido, o óvulo fertilizado não será capaz de permanecer no útero. Neste caso, os medicamentos de progesterona devem ser prescritos na segunda fase do ciclo menstrual. Após a gravidez, o tratamento é continuado até a 16ª semana, quando a placenta não assume totalmente a função de produção hormonal.

As mulheres que vão fazer fertilização in vitro são mostradas altas doses de progesterona. Neste caso, os medicamentos prescritos para administração oral, bem como velas. É esse hormônio que prepara o revestimento uterino para a implantação de embriões.

Se tumores na pituitária, glândulas supra-renais ou órgãos pélvicos são a causa da baixa progesterona, a cirurgia e a quimioterapia podem ser necessárias.

Uma causa natural da progesterona baixa é a menopausa, quando os ovários deixam de funcionar adequadamente e produzem ovos.

Com uma ligeira diminuição no nível de progesterona, você pode aumentá-lo sem o uso de drogas. Primeiro de tudo, você precisa comer direito e entrar nos alimentos de dieta que contêm grandes quantidades de zinco, magnésio, vitamina B6 ou C. O menu deve conter:

  • sementes de girassol e abóbora,
  • nozes, avelãs, amêndoas,
  • abacates, bananas, azeitonas,
  • melancia e melão
  • framboesa, morango,
  • leite, queijo, queijo cottage,
  • atum, salmão, caranguejo, caviar, alabote,
  • filé de frango, carne de coelho, vitela, fígado bovino,
  • feijão, soja, feijão preto.

Com baixa progesterona, deve-se prestar atenção ao exercício e longas caminhadas ao ar livre. Você precisa dormir pelo menos 8 horas por dia.

Os efeitos de uma deficiência hormonal podem ser bastante graves.Se os sintomas de baixa progesterona são observados em mulheres e homens, você não deve resolver este problema sozinho, você deve consultar um ginecologista ou um endocrinologista para aconselhamento.

Vídeos do YouTube relacionados ao artigo:

Assista ao vídeo: Dr. Lair Ribeiro: Deficiência de Progesterona (Dezembro 2022).

Pin
Send
Share
Send
Send